Escolha as suas informações

Polícia espanhola investiga a morte do milionário Pedro Queiroz Pereira

Polícia espanhola investiga a morte do milionário Pedro Queiroz Pereira

Foto: Lusa
Portugal 20.08.2018

Polícia espanhola investiga a morte do milionário Pedro Queiroz Pereira

As autoridades espanholas remeteram mais informações sobre esta investigação, a uma morte que reputam de aparentemente "acidental", para esta segunda-feira.

 A morte do empresário Pedro Queiroz Pereira, no sábado, no seu iate na ilha espanhola de Ibiza, está a ser investigada pela Polícia Nacional de Espanha, disse à agência Lusa fonte desta corporação, que remeteu esclarecimentos para esta segunda-feira.

O Diario de Ibiza, no seu ‘site’, afirma que o empresário, de 69 anos, deu uma queda nas escadas e faleceu no sábado ao final da noite, no seu iate atracado no porto da cidade de Ibiza, na ilha de Ibiza, no arquipélago espanhol das Baleares.

O jornal afirma que a Polícia Nacional abriu uma investigação, apesar de os factos apontarem para ter sido “um fatal acidente”.

O Diario de Ibiza refere que, “segundo as primeiras investigações feitas pelos agentes da Polícia Nacional, tudo indica que o falecido sofreu uma queda numas escadas do iate que foi fatal. Embora haja poucas dúvidas sobre o que aconteceu, a delegacia [policial] de Ibiza abriu uma investigação para esclarecer o sucedido”.

Segundo a mesma fonte, a presença das patrulhas da Polícia Nacional, da Polícia Portuária, de duas ambulâncias e de dois carros de bombeiros, gerou uma grande curiosidade entre os turistas, que eram muitos àquela hora no porto.

O jornal refere dificuldades na trasladação do corpo do empresário para terra firme, referindo que os bombeiros estiveram no local entre as 02:37 e as 03:40 da madrugada de hoje (hora local).

Segundo a publicação, o iate tem mais de 30 metros de comprimento e estava ancorado na zona portuária de Magna Ibiza.

O empresário Pedro Queiroz Pereira, um dos mais importantes de Portugal, era dono da Navigator (antiga Portucel) e da cimenteira Secil. Morreu no sábado à noite, aos 69 anos, em Ibiza, onde passava regularmente férias.

Segundo a revista Exame, era detentor de uma fortuna avaliada em 779 milhões de euros (em conjunto com a mãe), o que fazia dele o sétimo homem mais rico do país.

Acionista maioritário do grupo Semapa, proprietário da Navigator, mas também da cimenteira Secil e de negócios na área do ambiente e da energia.


Lusa


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.