Escolha as suas informações

Pedrogão Grande. Fundação Gulbekian e Misericórdias querem devolução de apoios
Portugal 19.01.2020

Pedrogão Grande. Fundação Gulbekian e Misericórdias querem devolução de apoios

Pedrogão Grande. Fundação Gulbekian e Misericórdias querem devolução de apoios

Foto: LUSA
Portugal 19.01.2020

Pedrogão Grande. Fundação Gulbekian e Misericórdias querem devolução de apoios

Gulbenkian pede indemnização de cerca de meio milhão de euros, referente a obras realizadas em cinco casas sob suspeita.

A Fundação Calouste Gulbenkian (FCG) e a União das Misericórdias Portuguesas (UMP) constituíram-se como assistentes no processo relativo às suspeitas na reconstrução de habitações ardidas nos incêndios de 2017 em Pedrogão Grande (Leiria) e exigem que os apoios que concederam para esse fim sejam devolvidos.

A notícia foi avançada este sábado, pela edição impressa do Jornal de Notícias, que refere que a Gulbenkian pediu uma indemnização de cerca de meio milhão de euros (482 mil euros), relacionada com obras realizadas em cinco casas sob suspeita.

"Com base no conteúdo da acusação, do conjunto dos apoios para a reconstrução de habitações que terão alegadamente sido obtidos de forma irregular, cinco dizem respeito a projetos de reconstrução de habitações financiados ao abrigo do protocolo celebrado entre a FCG e a UMP", justifica a Gulbenkian, citada por aquele jornal. 

No despacho do Ministério Público, a Fundação é mesmo identificada como "lesada", adianta ainda o JN.

Segundo o 'Público', o pedido de indemnização foi feito em Setembro, um mês depois da divulgação do despacho de acusação do Ministério Público, que deduziu acusação contra 28 arguidos, entre eles o autarca de Pedrógão Grande, Valdemar Alves.

AT