Escolha as suas informações

Parlamento português chumba proposta para apoios às vítimas da tempestade Leslie

Parlamento português chumba proposta para apoios às vítimas da tempestade Leslie

Foto: Paulo Novais/LUSA
Portugal 27.11.2018

Parlamento português chumba proposta para apoios às vítimas da tempestade Leslie

O parlamento português chumbou hoje a proposta do PCP para a criação de linhas de apoio até cinco mil euros para as vítimas da tempestade Leslie, que afetou a região centro do país a 13 e 14 de outubro.

No âmbito da votação na especialidade do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), a proposta dos comunistas para criação de uma “linha de apoios às vítimas” da tempestade foi rejeitada com o voto contra do PS, a abstenção dos sociais-democratas e os votos a favor do BE e CDS-PP. Em causa estão os apoios até cinco mil euros que, de acordo com a proposta dos comunistas, “são excecionados das regras, requisitos e exigências” do Programa de Desenvolvimento Rural PDR2020.

O diploma do PCP pretendia ainda que fosse assegurada celeridade nos apoios a pequenos e médios agricultores, abrangendo “associações, cooperativas e agrupamentos de produtores”, “promovendo os adiantamentos necessários às vítimas”. A passagem do furacão Leslie por Portugal, onde chegou como tempestade tropical, provocou 28 feridos ligeiros e 61 desalojados no fim de semana de 13 e 14 de outubro.


Leslie. Vento na Figueira da Foz atingiu valores recorde
A tempestade Leslie provocou vários estragos em Portugal sobretudo na zona centro do país. Na Figueira da Foz a velocidade vento atingiu valores nunca antes registados em Portugal. Veja a galeria de fotos.

A tempestade atingiu sobretudo a região Centro, onde provocou prejuízos superiores a 120 milhões de euros. A Proteção Civil mobilizou 8.217 operacionais, que tiverem de responder a 2.495 ocorrências, sobretudo queda de árvores e de estruturas e deslizamento de terras.

O distrito mais afetado pelo Leslie foi o de Coimbra, onde a tempestade, com um "percurso muito errático", se fez sentir com maior intensidade, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC). Na Figueira da Foz, uma rajada de vento atingiu o valor mais elevado registado em Portugal - 176km/hora - de acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas