Escolha as suas informações

Os portugueses ainda têm mais de 96 milhões de euros em escudos...

Os portugueses ainda têm mais de 96 milhões de euros em escudos...

Foto: DR
Portugal 3 min. 30.12.2018

Os portugueses ainda têm mais de 96 milhões de euros em escudos...

Vinte anos depois do início da moeda europeia, ainda existem mais de 96 milhões de euros em escudos, que ainda podem ser convertidos, mas que os seus donos teimam em não se querer desfazer deles.

Mais de 96 milhões de euros em notas de escudo estão ainda nas mãos dos cidadãos, portugueses ou não, o equivalente a 11,5 milhões de notas, segundo valores indicados à Lusa pelo Banco de Portugal.

A poucos dias de se assinalarem os 20 anos da criação do euro, no próximo dia 01 de janeiro de 2019, a Lusa foi saber quantas e qual o valor total das notas de escudos que ainda estão em posse dos portugueses.

Considerando apenas as notas de escudo não prescritas, ou seja, as que ainda são suscetíveis de troca nas tesourarias do Banco de Portugal, “estarão ainda em poder dos cidadãos (portugueses ou não) notas de escudo de valor equivalente a 96,3 milhões de euros”, disse à Lusa o Banco de Portugal.

A mesma fonte frisou que, “ao longo dos tempos, foram prescrevendo notas de escudo (isto é, deixaram de poder ser trocadas), pelo que o valor efetivamente em posse dos cidadãos será superior”.

No total, e tendo em consideração as notas de escudo que ainda não prescreveram, “estarão ainda em poder dos cidadãos (portugueses ou não), em 26 de dezembro de 2018, um total de 11.508.683 notas de escudo”, adiantou.

A nota de 500 escudos chapa 13 é aquela que os cidadãos ainda têm em maior quantidade, num total de 4,38 milhões, correspondentes a 10,9 milhões de euros, seguindo-se a nota de 1.000 escudos, também chapa 13, num total de 3,75 milhões de notas, equivalentes a 18,7 milhões de euros.

Já em relação à nota de 2.000 escudos chapa 2, estarão ainda nas mãos dos cidadãos 1,7 milhões de exemplares, num total de 17,12 milhões de euros.

Cabe à nota de 5.000 escudos chapa 3 o maior contravalor em euros ainda em poder dos cidadãos, num total de 33,48 milhões de euros, correspondente a 1,34 milhões de notas.

Da nota de 10.000 escudos chapa 2 estarão na posse dos cidadãos apenas 322 mil notas, num total de 16,06 milhões de euros.

De salientar que o Banco de Portugal apenas divulga o número e o contravalor em euros das notas de escudo ainda não prescritas, com referência ao final de cada ano, assim como o número e o contravalor em euros das notas de escudo que foram trocadas nesse ano nas suas tesourarias.

Até ao final de 2002, quando terminou o prazo para trocar moedas de escudo, tinham entrado no Banco de Portugal 284 milhões de notas de escudo, quer via depósitos (281 milhões), quer através da troca direta ao público (3 milhões), correspondentes a um total de 5,3 mil milhões de euros.

Desde então e até 26 de dezembro de 2018, foram trocadas nas tesourarias do Banco de Portugal 5,5 milhões de notas de escudo, no valor de 78,3 milhões de euros, segundo dados do regulador.

“As notas de escudo recolhidas são destruídas (granuladas e compactadas formando briquetes) no Complexo do Carregado e, posteriormente, enviadas para incineração com valorização energética”, explicou a mesma fonte.

O prazo para entregar as notas de escudo ainda suscetíveis de troca nas tesourarias do Banco de Portugal prolonga-se até ao dia 28 de fevereiro de 2022, inclusive.

Já o prazo para trocar moedas de escudo por euros terminou em 31 de dezembro de 2002, ficando por trocar o equivalente a 184,2 milhões de euros em moedas de escudo (correntes e de coleção), segundo dados do Banco de Portugal.

Questionado sobre se terá sido saudosismo, descuido ou a perspetiva de um potencial investimento alternativo a motivar “a retenção de moedas e notas de escudo”, o Banco de Portugal admite que será “provavelmente um pouco de tudo isso” não tendo, contudo, “dados concretos”.

Mas ainda há esperança e o regulador indica algumas alternativas para quem deixou as moedas de escudo no esquecimento. “Podem tentar perceber sobre as mesmas se têm algum valor numismático, contactando, por exemplo, casas/clubes/fóruns de numismática”, indicou o Banco de Portugal à Lusa, acrescentando que, “dependendo da moeda em questão (denominação, data, emissão, entre outros) e do seu estado de conservação, pode haver interessados na compra”.

Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Remessas dos emigrantes subiram 3% em janeiro
As remessas dos emigrantes subiram 3% em janeiro face ao primeiro mês do ano passado, para 272 milhões de euros, enquanto as verbas enviadas pelos trabalhadores estrangeiros em Portugal aumentaram 2,3%, para 45,7 milhões.
Banco de Portugal: Remessas dos emigrantes caem 3,6%
As remessas dos emigrantes portugueses caíram 3,6% no primeiro semestre deste ano, para 1.485 milhões de euros, enquanto as verbas enviadas pelos imigrantes para os seus países de origem subiram 7,6%, para 262 milhões de euros.
** FILE ** A money changer employee changes Euro and US Dollars on an exchange kiosk, in downtown Milan, Italy, July 5, 2005. The euro soared to a new high against the U.S. dollar on Tuesday July 10, 2007, reaching US$1.3696 in afternoon trading in Europe before falling back slightly. The 13-nation currency was trading at US$1.3694, above the previous high of US$1.3682 it bought on April 27, and above the US$1.3623 it bought in New York late Monday. (AP Photo/Luca Bruno)