Escolha as suas informações

Opinião. O tira-teimas no PSD
Editorial Portugal 16.01.2020

Opinião. O tira-teimas no PSD

Opinião. O tira-teimas no PSD

Foto: Lusa
Editorial Portugal 16.01.2020

Opinião. O tira-teimas no PSD

Sérgio FERREIRA BORGES
Sérgio FERREIRA BORGES
Rui Rio ficou a escassas décimas da maioria absoluta e, por isso, haverá uma segunda volta, este sábado, para a escolha do líder do PSD. Do outro lado, estará Luís Montenegro.

Numa análise simplista, pode dizer-se que serão aqueles que agora votaram em Miguel Pinto Luz (9.2 por cento) que vão decidir a questão. Mas há outra análise que atribui grande parte do favoritismo a Rui Rio. A votação nos dois candidatos vai crescer, inevitavelmente. Pelo menos, em termos percentuais. Assim, Rio precisa de apenas 0.56 por cento para chegar à vitória. Enquanto isso, Montenegro precisa de 8.74, um esforço muito maior que o do seu opositor.

Mas pode tirar-se desde já uma conclusão. O partido está dividido em duas partes, muito iguais, o que não augura nada de bom. Seja qual for o vencedor terá pela frente a hercúlea missão de unir e congregar vontades.

Diz a tradição que só se consegue unir um partido quando ele está no poder. Nessa circunstância, há lugares e influências para distribuir e isso facilita a união em torno do líder. Na oposição tudo é mais difícil, a não ser que, no curto prazo, seja previsível o regresso ao governo.

Levanta-se agora uma questão. O PSD está a escolher um líder, ou apenas um gestor de crise? Só o tempo vai dar uma resposta e as eleições autárquicas de 2021 serão, para o PSD, o momento decisivo. Um líder derrotado nas eleições locais dificilmente sobreviverá ao inevitável coro de críticas.

O PSD teria ainda outra hipótese exógena de se recompor. Seria uma crise no PS e no Governo que, neste momento, é de todo imprevisível. Serão dias difíceis, os que aí vêm, para o vencedor da pugna.

Na votação de sábado, o preconceito de muita gente vai influenciar a respetiva escolha. Os dois candidatos são do norte e, no distrito de Lisboa, onde Pinto Luz venceu na 1ª volta, esse sentimento é mais visível. E aqui, Montenegro leva uma ligeira vantagem sobre Rio.


Notícias relacionadas

Rio está de volta
Luís Montenegro tem mais experiência parlamentar, mas Rui Rio sabe mais de economia.
Opinião. Costa acima, Rio abaixo!
O PS não obteve uma grande vitória nas eleições de domingo, mas o PSD conseguiu uma derrota de larga escala. Os números da vitória de um não correspondem aos números da derrota de outro.
Rui Rio.
Avenida da Liberdade: A aritmética de Santana
À hora a que esta edição chegar às mãos dos leitores, já Pedro Santana Lopes terá entregue, no Tribunal Constitucional, mais de 7.500 assinaturas que vão legalizar o seu novo partido, o Aliança.