Escolha as suas informações

Nenhuma aeronave ao serviço da Proteção Civil se despenhou, garante comandante
Portugal 2 min. 20.06.2017 Do nosso arquivo online
Pedrógão Grande

Nenhuma aeronave ao serviço da Proteção Civil se despenhou, garante comandante

Pedrógão Grande

Nenhuma aeronave ao serviço da Proteção Civil se despenhou, garante comandante

Foto: REUTERS/Miguel Vidal
Portugal 2 min. 20.06.2017 Do nosso arquivo online
Pedrógão Grande

Nenhuma aeronave ao serviço da Proteção Civil se despenhou, garante comandante

(Notícia atualizada às 8h32 de 21/06/2017) O Comandante operacional da Proteção Civil, Vaz Pinto, negou que tivesse caído alguma aeronave nas operações de combate aos incêndios que estivesse ao serviço da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

(ND c/ agências) O Comandante operacional da Proteção Civil, Vaz Pinto, negou que tivesse caído alguma aeronave nas operações de combate aos incêndios que estivesse ao serviço da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

"Não tenho conhecimento de nenhuma aeronave ao serviço da proteção civil que tenha caído", disse Vítor Vaz Pinto no 'briefing' aos jornalistas em Avelar, Ansião.

Aludindo à possibilidade de ter ocorrido outro evento que induzisse em erro, falou na hipótese da explosão de uma 'roullote' e admitiu o envio de equipas de buscas para o local.

"Havia uma 'roullote' abandonada com botijas de gás, e eventualmente isso pode ter explodido», disse.

Também o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, desmentiu hoje à tarde, em Góis, a queda de qualquer avião de combate a incêndios ao serviço da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

“Não houve nenhum acidente ou incidente com qualquer meio aéreo”, disse o governante pouco depois das 20:00 (hora do Luxemburgo) num 'briefing' no posto de comando instalado na Selada do Braçal, no concelho de Góis, distrito de Coimbra, junto à estrada nacional 112, que dá acesso à Pampilhosa da Serra.

De acordo com Jorge Gomes, além de aeronaves portuguesas, estão a operar em território nacional aviões de combate a incêndio provenientes de Espanha, França e Itália.

Uma fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil tinha informado que um avião Canadair de combate aos incêndios, que operava no fogo de Pedrógão Grande, tinha caído hoje à tarde.

"O país tem um sistema de busca e salvamento que foi acionado para averiguar estas informações. Não acredito que deste posto de comando tenha saído qualquer informação sobre a queda de uma aeronave", afirmou Vítor Vaz Pinto.

AFP

Uma dezena de veículos dos bombeiros concentraram-se na terça-feira à tarde junto de um posto de combustível, na localidade de Picha, em Pedrógão Grande, a alguns metros de onde alegadamente teria caido um avião Canadair de combate ao fogo.

Segundo moradores da zona, vários aviões descarregaram cargas de água na zona para tentar chegar ao local onde teria caído a aeronave de combate aos incêndios, que operava no fogo de Pedrógão Grande.

REUTERS
REUTERS

(Notícia atualizada às 8h32 de 21/06/2017)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O incêndio em Abrantes, no distrito de Santarém, fez um total de 19 feridos leves, já o fogo que lavra na Mealhada, em Aveiro, provocou três vítimas civis e um bombeiro, todos feridos ligeiros, informou hoje a Proteção Civil.
TOPSHOT - A firefighter tackles a wildfire close to the village of Pucarica in Abrantes on August 10, 2017. 
Nearly 3,000 firefighters battled 80 wildfires raging across Portugal civil protection officials said, as the return of scorching heat put an end to the respite after a spate of blazes. Some 650 firefighters backed by nine water-dropping aircraft and over 200 vehicles were at the scene of the biggest blaze in a forest near the central town of Abrantes. / AFP PHOTO / PATRICIA DE MELO MOREIRA
O incêndio que começou no sábado em Pedrógão Grande ainda "não está dominado", tendo sido registadas "várias reativações", informou fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria.
O combate continua em curso
Pelo menos 62 pessoas morreram no incêndio que atinge Pedrógão Grande e outros dois concelhos do distrito de Leiria desde sábado, disse hoje o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes.
Burned cars and body bags at N236 road between Figueiro dos Vinhos and Castanheira de Pera, near Pedrogao Grande, 18 june 2017. 57 people have been killed in forest fires in central Portugal, many of them trapped in their cars as flames swept over a road Saturday evening. 688 firefighters, 214 cars and 5 airplanes still in local. MIGUEL A. LOPES/LUSA
Dezanove pessoas morreram hoje no incêndio que deflagrou durante a tarde no concelho de Pedrógão Grande, disse o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes.