Escolha as suas informações

Mulher de Eduardo Cabrita dedica-lhe mensagem de amor nas redes sociais
Portugal 3 min. 04.12.2021
Demissão

Mulher de Eduardo Cabrita dedica-lhe mensagem de amor nas redes sociais

O casal Ana Paula Vitorino e Eduardo Cabrita.
Demissão

Mulher de Eduardo Cabrita dedica-lhe mensagem de amor nas redes sociais

O casal Ana Paula Vitorino e Eduardo Cabrita.
Crédito. Facebook
Portugal 3 min. 04.12.2021
Demissão

Mulher de Eduardo Cabrita dedica-lhe mensagem de amor nas redes sociais

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Minutos antes do ministro se demitir publicamente, Ana Paula Vitorino, publicava-lhe uma dedicatória no Facebook. Um “Homem com letra maiúscula” e que “dá o peito às balas”, escreve sobre “o grande amor” da sua vida. A política já trouxe polémicas a este casal.

No dia negro para Eduardo Cabrita, que começou com o conhecimento do despacho da acusação de homicídio por negligência do motorista do ministro, sobre o atropelamento mortal do trabalhador da A6, e terminou com o seu pedido de demissão ao final da tarde de ontem, a sua mulher escreveu-lhe uma dedicatória de amor e elogios nas redes sociais.

“Sempre disse que o Eduardo é a melhor parte de mim. Não é “apenas” o meu amor, o grande amor da minha vida, é também a pessoa, o político e profissional que eu admiro. É uma pessoa íntegra, honesta e responsável”, assim começa a mensagem de Ana Paula Vitorino, ex-ministra do Mar, ao seu marido Eduardo Cabrita. O texto foi publicado nas redes sociais, dia 3 de dezembro, minutos antes de Eduardo Cabrita falar publicamente ao país anunciando ter apresentado a sua demissão como Ministro da Administração Interna.

Ana Paula Vitorino, antiga ministra do Mar.
Ana Paula Vitorino, antiga ministra do Mar.
Facebook

Para Ana Paula Vitorino, o seu marido “é o último dos impolutos”, um “homem competente”, e é “também aquele que nunca nega solidariedade e lealdade, aquele que 'dá o peito às balas' para defender aquilo em que acredita, mesmo não tendo culpa nenhuma, mesmo em prejuízo de si próprio”.

Na mensagem publicada na sua página do Facebook, a mulher do agora ex-ministro descreve como Eduardo Cabrita é “generoso e amigo do seu amigo, mesmo num mundo que se transformou em desapego e indiferença de memória curta”.

“O Eduardo é um Homem com letra maiúscula e terá sempre o meu apoio e o meu agradecimento por tudo o que tem trazido de bom à minha vida e pela mais-valia que tem sido para o nosso País. Bem hajas!”, assim termina a dedicatória da antiga ministra do Mar a Eduardo Cabrita, num post com uma fotografia do casal sorridente e num momento de descontração.

Ontem, a manhã começou mal para Eduardo Cabrita com a notícia de que o Ministério Público tinha deduzido uma acusação de homicídio por negligência, contra o motorista do veículo, Marco Pontes, onde seguia o ministro da Administração Interna, no momento do acidente fatal, que atropelou mortalmente Nuno Santos. Este trabalhador fazia a manutenção da A6, ao quilómetro 77,600 da via, no sentido Este/Oeste (Caia/Marateca), quando o BMW onde seguia Eduardo Cabrita o atropelou.


Ministro em contramão
Cabrita saiu pela porta-traseira, onde se afirmou um "mero passageiro", com o seu condutor acusado de homicídio por negligência e ainda duas contraordenações".

“Sou um passageiro” é “o Estado de direito a funcionar”, esta foi a primeira reação do ministro da Administração Interna à acusação do Ministério Público sobre o atropelamento que suscitou muitas críticas em crescendo que acabaram com o pedido de demissão de Eduardo Cabrita, ao final da tarde, aceite por António Costa.

Eduardo Cabrita, demitiu-se ontem do cargo de ministro da Administração Interna.
Eduardo Cabrita, demitiu-se ontem do cargo de ministro da Administração Interna.
Foto: Lusa

Casal com polémicas

O casal já foi confrontado com críticas devido aos cargos que ambos ocupam. Este verão, quando a então deputada do PS e ex-ministra do Mar, Ana Paula Vitorino foi nomeada para o cargo de presidente do conselho de administração da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) surgiram várias críticas da oposição à escolha da sua pessoa para presidir a este órgão regulador devido ao cargo do seu marido, ministro da Administração Interna.

"Trata-se de uma nomeação feita pelo Governo da esposa de um outro ministro [Eduardo Cabrita], que não o que nomeia [Pedro Nuno Santos], mas, mais relevante do que isso, de uma deputada do PS", declarou o presidente do PSD, Rui Rio, em junho, citado pelo Diário de Notícias. O líder do PSD, sublinhou na ocasião não estar a pôr em causa as competências técnicas da antiga ministra do Mar.


Eduardo Cabrita demitiu-se esta sexta-feira do cargo de ministro da Administração Interna, seis meses depois do acidente mortal provocado pelo carro em que seguia.
Cabrita, um mandato de polémicas. Das golas antifumo, ao caso Ihor e aos festejos do Sporting
E ainda o surto de covid-19 entre trabalhadores migrantes em Odemira ou a ameaça da Altice em desligar o sistema de comunicações SIRESP. A demissão de Cabrita surgiu agora, no dia em que o MP acusou de homicídio por negligência o motorista do carro onde seguia o ministro. Sai para não "penalizar" o Governo.

O ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, teve de vir a público defender a escolha da mulher de Eduardo Cabrita para o cargo, vincando que Ana Paula Vitorino garantia "independência face aos regulados".

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas