Escolha as suas informações

Motoristas. Serviços mínimos estão a ser cumpridos
Portugal 15.08.2019

Motoristas. Serviços mínimos estão a ser cumpridos

Motoristas. Serviços mínimos estão a ser cumpridos

Foto: Lusa
Portugal 15.08.2019

Motoristas. Serviços mínimos estão a ser cumpridos

Os motoristas de matérias perigosas e de mercadorias cumprem hoje o quarto dia de uma greve por tempo indeterminado.

O abastecimento dos postos de combustível e dos aeroportos está a processar-se com regularidade no país, estando a ser cumpridos os serviços mínimos legalmente estabelecidos, anunciou hoje a Entidade Nacional para o Setor Energético (ENSE).

Os serviços mínimos legalmente estabelecidos foram cumpridos até às 10h (11h no Luxemburgo) do dia de hoje, de acordo com um ponto da situação publicado na página da ENSE na Internet pelo presidente do Conselho de Administração, Filipe Meirinho.

Durante a noite de hoje estiveram envolvidos no transporte de combustíveis 26 elementos Forças Armadas e das Forças de Segurança, e às primeiras horas da manhã, o número subiu para 54, acrescenta.

A ENSE recorda que a greve "continua a criar constrangimentos na distribuição de combustível no país, apelando à contenção na sua utilização".

Os motoristas de matérias perigosas e de mercadorias cumprem hoje o quarto dia de uma greve por tempo indeterminado, que levou o Governo a decretar uma requisição civil parcial na segunda-feira à tarde, alegando incumprimento dos serviços mínimos.

Portugal está em situação de crise energética, decretada pelo Governo devido a esta paralisação, o que permitiu a constituição de uma Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA), com 54 postos prioritários e 320 de acesso público.

A greve foi convocada pelo Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas e pelo Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias, com o objetivo de reivindicar junto da Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (Antram) o cumprimento do acordo assinado em maio, que prevê uma progressão salarial.

Lusa


Notícias relacionadas