Escolha as suas informações

Breves Portugal 13.08.2019

Motoristas. Conselho de Ministros decretou requisição civil

O Governo português decretou hoje a requisição civil dos motoristas em greve, alegando incumprimento dos serviços mínimos, anunciou o secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, após reunião do executivo por via eletrónica.

De acordo com Tiago Antunes, o Governo constatou hoje, particularmente no turno da tarde, que os sindicatos que convocaram a greve dos motoristas de mercadorias e de matérias perigosas "não asseguraram os serviços mínimos" fixados pelo executivo.

"O Governo não teve alternativa senão a de reconhecer a necessidade de proceder à requisição civil dos motoristas em situação de greve com vista a assegurar o cumprimento dos serviços mínimos", declarou, acrescentando que a medida será "gradual" e aplicada às áreas "em que se constata o incumprimento".

Lusa

Breves Luxemburgo 25.09.2020

Gasolina 95 desce a partir da meia-noite

A gasolina sem chumbo de 95 octanas vai baixar 1,3 cêntimos a partir da meia-noite. Este combustível vai passar a custar 1.09 euros por litro.  

Breves Luxemburgo 25.09.2020

Homem recusa-se a usar máscara num hotel da capital e acaba na esquadra da polícia

Por volta das 19:30 de quinta-feira, um homem entrou num hotel na avenida Victor Hugo, na cidade do Luxemburgo, e pediu se havia um quarto disponível. Como não usava máscara, os funcionários do hotel pediram-lhe várias vezes que para a usar, uma vez que é obrigatório por lei.  

O indivíduo recusou-se como também não acatou os pedidos para abandonar o hotel. Começou a ser agressivo e a ameaçar os funcionários que tiveram de chamar as autoridades policiais.

À chegada dos agentes, o homem estava a dormir num sofá do hotel. Quando o acordaram constataram que o homem estava fortemente alcoolizado. O homem voltou a ser agressivo, mas desta vez com a polícia. Atitude que levou as autoridades a detê-lo e a levá-lo para a esquadra onde passou a noite.  

Breves Mundo 24.09.2020

UE recusa reconhecer Lukashenko como presidente da Bielorrússia

A União Europeia recusa reconhecer Alexandre Lukashenko como presidente da Bielorrússia, apesar da tomada de posse inesperada, apontando para os "resultados falsificados" da eleição de agosto e a "falta de qualquer legitimidade democrática", disse o chefe da diplomacia europeia.

"As eleições de 9 de agosto não foram livres nem justas. A UE não reconhece os resultados falsificados. Como resultado, o chamado 'juramento' de 23 de setembro e o novo mandato que Alexandre Lukashenko assumiu não têm legitimidade democrática e contradizem diretamente a vontade de grandes setores da população bielorrussa", considerou Josep Borrell, em comunicado.