Escolha as suas informações

Morreu Eduardo Lourenço "o mais importante ensaísta e crítico" de Portugal
Portugal 01.12.2020

Morreu Eduardo Lourenço "o mais importante ensaísta e crítico" de Portugal

Morreu Eduardo Lourenço "o mais importante ensaísta e crítico" de Portugal

LUSA
Portugal 01.12.2020

Morreu Eduardo Lourenço "o mais importante ensaísta e crítico" de Portugal

Redação
Redação
Um dos mais destacados intelectuais portugueses faleceu hoje, aos 97 anos, em Lisboa. A homenagem de Marcelo Rebelo de Sousa.

A cultura portuguesa e internacional está de luto.  O presidente da República Marcelo de Sousa foi um dos primeiros a reagir à morte do filósofo e ensaísta Eduardo Lourenço hoje em Lisboa. Contava 97 anos.  Para Marcelo de Sousa é a perda importante "deste amigo, deste sábio, desta figura essencial do Portugal que vivemos", como assume numa mensagem de homenagem a Eduardo Lourenço.

"Eduardo Lourenço foi, desde o início da segunda metade do século passado, o nosso mais importante ensaísta e crítico, o nosso mais destacado intelectual público", escreve Marcelo Rebelo de Sousa na homenagem que faz a Eduardo Lourenço que faleceu hoje aos 97 anos, em Lisboa. 

"Tendo vivido durante décadas em França, e sendo estruturalmente francófilo, poucos foram os 'estrangeirados' tão obsessivos na sua relação com os temas portugueses, com a cultura, identidade e mitologias portuguesas, com todos os seus bloqueios, mudanças e impasses", lembra o presidente da República.

"Nunca esteve, por isso, alheado dos debates do nosso tempo, nem das vicissitudes da política. Devemos-lhe algumas das leituras mais decisivas de Pessoa, que marcam um antes e um depois, e um envolvimento, muitas vezes heterodoxo, nas questões religiosas, filosóficas e ideológicas contemporâneas, do existencialismo ao cristianismo conciliar e à Revolução", continua na sua mensagem.

"Ninguém entre nós pensou a Europa e Portugal em conjunto, sem excecionalismos nem deslumbramentos, numa linha de fidelidade ao humanismo crítico de um dos seus mestres, Montaigne".

"Vencedor de diversos prémios, incluindo o Pessoa e o Camões, distinguido por quatro vezes com ordens nacionais, e também reconhecido no estrangeiro, o Prof. Eduardo Lourenço deu-me a honra de integrar o Conselho de Estado", vinca Marcelo Rebelo de Sousa.

"Aos seus familiares apresento as minhas sentidas condolências pela perda deste amigo, deste sábio, desta figura essencial do Portugal que vivemos", termina.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.