Escolha as suas informações

Marcelo Rebelo de Sousa. Passagem pelo Luxemburgo foi uma "visita singular"
Portugal 4 min. 23.01.2023
Política

Marcelo Rebelo de Sousa. Passagem pelo Luxemburgo foi uma "visita singular"

O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, acompanhado pelo Grão Duque Henri, e pelo secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, abraça uma emigrante portuguesa na Cidade do Luxemburgo, em maio de 2017.
Política

Marcelo Rebelo de Sousa. Passagem pelo Luxemburgo foi uma "visita singular"

O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, acompanhado pelo Grão Duque Henri, e pelo secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, abraça uma emigrante portuguesa na Cidade do Luxemburgo, em maio de 2017.
Foto: João Relvas/Lusa
Portugal 4 min. 23.01.2023
Política

Marcelo Rebelo de Sousa. Passagem pelo Luxemburgo foi uma "visita singular"

Redação
Redação
Os países europeus geograficamente mais próximos de Portugal receberam mais visitas do Chefe de Estado, mas foi a deslocação ao Luxemburgo que Marcelo classificou de "singular".

Marcelo Rebelo de Sousa, eleito Presidente da República há sete anos, fez 123 deslocações a países estrangeiros até à data.

Os países mais visitados pelo chefe de Estado, ao longo dos seus dois mandatos, foram Espanha, onde já se deslocou 17 vezes, França, onde esteve 12 vezes, e Estados Unidos da América, país a que se deslocou nove vezes, seis das quais à sede das Nações Unidas, em Nova Iorque.  

O Presidente da República deslocou-se também com frequência a outros países, como o Brasil (oito vezes), Angola e Cabo Verde (seis), Itália (cinco), Reino Unido (quatro), Moçambique e São Tomé e Príncipe  (três).

A visita que o Luxemburgo não vai esquecer

Ao longo de sete anos como Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa só visitou o Luxemburgo uma vez em 2017, mas a sua passagem pelo Grão-Ducado dificilmente será esquecida. Recebido como uma estrela pop pela comunidade portuguesa, que acolheu com abraços em Wiltz, onde foi acompanhado pelo Grão-Duque Henri, Marcelo Rebelo de Sousa teve uma agenda particularmente preenchida na visita oficial de três dias, que acabou por durar um pouco mais com momentos fora do calendário pré-definido e que, em alguns casos, contaram com a presença do Grão-Duque.


Recebido como uma estrela pop, Marcelo promete voltar se portugueses se recensearem
Marcelo foi recebido em Wiltz como uma estrela "pop”, com o discurso interrompido com palmas e gritos de “Marcelo! Marcelo!", num ambiente de verdadeira euforia. David Carreira tinha atuado antes do encontro com a comunidade portuguesa no Luxemburgo, mas o Presidente da República rivalizou em popularidade com o cantor. Um momento que Marcelo aproveitou para repetir o apelo ao recenseamento dos portugueses no Luxemburgo, no que tem sido o seu mantra nesta visita de Estado.

Na altura o Presidente da República portuguesa classificou a passagem pelo Luxemburgo de "singular" entre as suas outras visitas de Estado. "É raro encontrar um país onde um quinto da população é portuguesa, e tão bem integrada", como noticiou o Contacto na altura.

Marcelo elogiou o "sentimento raro" de dupla pertença que existe na comunidade portuguesa no Grão-Ducado. "Senti isso nas ruas por onde passei nos últimos dois dias. No Luxemburgo sentimo-nos como em casa", sublinhou.

Quase 50 países visitados

Até ao momento, o Presidente da República - que foi eleito, pela primeira vez nas presidenciais de 24 de janeiro de 2016 (com 52% dos votos expressos) e reeleito em 24 de janeiro de 2021 (60,67%) - visitou 48 países diferentes, num total de 123 deslocações, das quais 18 foram visitas de Estado.  

Esta contagem inclui além de visitas oficiais, deslocações por motivos diversos, divididas por país, para visitar forças nacionais destacadas, comemorações do Dia de Portugal, cimeiras e outras reuniões internacionais, eventos desportivos e culturais, posses e cerimónias fúnebres.

A partir do seu segundo mandato, várias dessas visitas foram aprovadas pelos deputados sem a habitual unanimidade, com abstenções e até votos contra, e contestadas em termos gerais pelo partido Chega, pela sua quantidade.


Marcelo visita comunidades luso-americanas na Califórnia
Trata-se do estado com maior diáspora de origem portuguesa e onde há vontade de reforçar a ligação a Portugal.

A que gerou mais controvérsia na Assembleia da República foi a ida ao Mundial de Futebol do Qatar, em novembro do ano passado, que teve votos contra de Iniciativa Liberal, Bloco de Esquerda, PAN, Livre e quatro deputados do PS e abstenções de Chega, de três deputados do PS e três do PSD.

Também houve divergências em relação às suas idas a Angola para o funeral do antigo Presidente José Eduardo dos Santos, com votos contra de Iniciativa Liberal e Bloco de Esquerda e abstenção do PAN, e para a posse do Presidente João Lourenço, com votos contra do Chega e abstenções de Bloco e PAN – ambas votadas em plenário à posteriori, em setembro de 2022.

No roteiro de visitas ao estrangeiro, Marcelo Rebelo de Sousa foi ainda três vezes ao Vaticano – o primeiro país que visitou no início de cada mandato –, bem como à Bélgica, Grécia e Andorra e duas vezes à Alemanha, Rússia, Bulgária e Malta.

Além dos países referidos acima, e do Luxemburgo, visitou também Marrocos, Suíça, Cuba, Colômbia, Senegal, Croácia, Luxemburgo, México, Lituânia, República Centro-Africana, Egito, Áustria, Letónia, Guatemala, Panamá, China, Costa do Marfim, Tunísia, Afeganistão, Israel, Índia, Guiné-Bissau, Eslovénia, Hungria, Países Baixos, Timor-Leste, Chipre, Irlanda e Roménia.

O Dia de Portugal junto das comunidades

No âmbito das suas deslocações ao estrangeiro, Marcelo visitou forças nacionais destacadas para missões militares em Kaunas, Lituânia, e em Málaga, Espanha, em 2017, na República Centro-Africana, em 2018, no Afeganistão, em 2019, e na Roménia, em 2022.


Enfermeiro que cuidou de Boris Johnson e bailarino Marcelino Sambé condecorados por Marcelo em Londres
Luís Pitarma, que cuidou do primeiro-ministro britânico quando este teve covid-19, foi condecorado com a Ordem de Mérito, no âmbito das celebrações do 10 de Junho, em Londres. Foi também distinguido o bailarino Marcelino Sambé, com Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.

Foi ver dez jogos da seleção portuguesa de futebol e esteve em cerca de vinte encontros multilaterais, desde reuniões da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque, a cimeiras ibero-americanas e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), e encontros informais de chefes de Estado do Grupo de Arraiolos e da organização empresarial Cotec Europa.

Para comemorar o Dia de Portugal junto de comunidades emigrantes, num modelo original que lançou com o primeiro-ministro, António Costa, o chefe de Estado esteve em Paris, em 2016, no Rio de Janeiro e São Paulo, em 2017, na Costa Leste dos Estados Unidos da América, em 2018. Em 2019 esteve na na Praia e no Mindelo, em Cabo Verde, e em 2022 visitou Londres.

(Com Lusa)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Marcelo Rebelo de Sousa chega ao Grão-Ducado já na próxima segunda-feira para uma visita de Estado de três dias. O Presidente da República vem a convite dos Grãos-Duques e tem uma agenda cheia, numa visita que “é muito importante” para os dois países, garante o gabinete de Xavier Bettel. Mas o ponto alto da visita deverá ser a peregrinação ao santuário de Fátima em Wiltz, no dia 25, onde são esperados milhares de portugueses.
Marcelo Rebelo de Sousa