Escolha as suas informações

Marcelo admite que pandemia afetou prevenção dos incêndios
Portugal 2 min. 26.07.2020

Marcelo admite que pandemia afetou prevenção dos incêndios

Marcelo admite que pandemia afetou prevenção dos incêndios

Foto: Lusa
Portugal 2 min. 26.07.2020

Marcelo admite que pandemia afetou prevenção dos incêndios

Lusa
Lusa
Governo declarou situação de alerta até terça-feira, com a proibição de queimadas, fogos de artifício e várias atividades em espaços rurais.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, admitiu este domingo, 26 de julho, que a pandemia afetou a prevenção dos incêndios, tornando as condições de combate “difíceis”, sobretudo por se tratar de um verão muito quente.

"Quanto à prevenção, ela sofreu, há que dizer, de facto, sofreu com a pandemia. Os meses que eram meses cruciais da transição da primavera para o verão foram meses acabados por não existir”, disse aos jornalistas durante uma visita ao lar de idosos da Santa Casa da Misericórdia de Boliqueime, em Loulé, no distrito de Faro.

O facto de as pessoas não poderem sair, devido ao confinamento, ou estarem muito limitadas entre março e junho, acabou por ser “uma limitação, que obriga agora que o combate seja um combate, esperemos que à altura do que tem sido, mas em condições difíceis", acrescentou.


Incêndios. Um morto e quatro feridos em acidente com viatura dos bombeiros
O bombeiro da corporação de Proença-a-Nova que estava desaparecido, na sequência de um acidente durante o combate a um incêndio em Oleiros, foi encontrado morto na noite de sábado.

“Até agora o que se pode dizer é que, na generalidade dos casos, houve capacidade de resposta, sobretudo nos grandes casos, nos grandes fogos”, notou, lamentando o “azar” da morte de dois bombeiros no terreno, um num acidente de viação e outro devido a um ataque cardíaco.

  Governo declara situação de alerta até terça-feira  

O Governo determinou a declaração da situação de alerta em todo o território continental, entre as 00:00 de segunda-feira e as 23:59 de terça-feira, face às previsões meteorológicas que apontam para “significativo agravamento do risco de incêndio rural”.

“Face às previsões meteorológicas para os próximos dias, que apontam para um significativo agravamento do risco de incêndio rural, os ministros da Administração Interna e do Ambiente e Ação Climática determinaram este domingo a Declaração da Situação de Alerta em todo o território do Continente”, avança em comunicado o gabinete do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

No âmbito da declaração da situação de alerta, prevista na Lei de Bases de Proteção Civil, serão implementadas várias medidas, entre elas a “proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem”.

Fica ainda proibida a realização de queimadas e queimas de sobrantes de exploração bem como a utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, bem como “a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas nos distritos onde tenha sido declarado o Estado de Alerta Especial de Nível Laranja ou superior pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil”.

A declaração de situação de alerta proíbe ainda “trabalhos nos espaços florestais e outros espaços rurais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados à alimentação de animais e a situações de combate a incêndios rurais”, tal como já tinha anunciado o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.