Escolha as suas informações

Marcelo diz que tudo fará para “construir melhores pontes” com o Brasil
Portugal 3 min. 02.08.2021
Lusofonia

Marcelo diz que tudo fará para “construir melhores pontes” com o Brasil

Lusofonia

Marcelo diz que tudo fará para “construir melhores pontes” com o Brasil

Foto: AFP
Portugal 3 min. 02.08.2021
Lusofonia

Marcelo diz que tudo fará para “construir melhores pontes” com o Brasil

Lusa
Lusa
O chefe de Estado português encontra-se esta segunda-feira Palácio da Alvorada com o seu homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro. Um encontro que encerra o programa de quatro dias do Presidente da República de Portugal no Brasil.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse, no domingo, que tudo fará para "construir melhores pontes" entre Portugal e o Brasil, considerando que "não faltam desafios" no relacionamento entre os dois países.

"Tudo o que estiver ao meu alcance para construir melhores pontes entre Portugal e Brasil em todos os domínios, farei. Há uma preocupação de ir mais longe na cooperação e sentimos que o Brasil está numa onda de, em conjunto, olharmos para os desafios do futuro", disse.

O chefe de Estado português falava aos jornalistas no final da tarde de domingo, na Embaixada de Portugal em Brasília, antecipando o encontro que hoje tem agendado no Palácio da Alvorada com o seu homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro.

O encontro será o derradeiro ponto do programa de quatro dias de Marcelo Rebelo de Sousa no Brasil a pretexto da reinauguração, em São Paulo, do Museu da Língua Portuguesa, que estava encerrado desde 2015 devido a um incêndio.

"Há toda uma comunidade brasileira em Portugal que cresce todos os dias e que é um desafio enorme para os dois países e há uma comunidade de portugueses" no Brasil que "é outro desafio", acrescentou, apontando uma agenda vasta de temas, que vão desde a economia à cooperação sanitária, a serem tratados durante o encontro com Jair Bolsonaro.

"A nossa expectativa é que exista uma delegação brasileira que permita tratar áreas diversificadas", disse.

O chefe de Estado português destacou também a abordagem da comemoração conjunta dos 200 anos da independência do Brasil, que se assinalam no próximo ano e às quais Portugal foi convidado a associar-se.

Também em 2022 e neste contexto, Portugal será o país homenageado na Bienal do Livro de São Paulo.

O Presidente português chega ao encontro com o homólogo brasileiro depois de reuniões com antigos chefes de Estado - Michel Temer, Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso.

O encontro com Lula da Silva, na residência do Cônsul de Portugal em São Paulo, gerou mal-estar entre a comunidade portuguesa.

Elementos da comunidade portuguesa ouvidos pela agência Lusa, que pediram anonimato, lamentam, por um lado, a escolha do local para a realização do encontro, considerando que "é simbólico", e por outro, o facto do chefe de Estado português se ter encontrado com o antigo presidente brasileiro invocando o seu envolvimento em questões judiciais.

Marcelo Rebelo de Sousa considerou que "esta rápida" deslocação, retrata "o momento melhor" das relações de Portugal com o Brasil, que, segundo disse, "independentemente das diferentes sensibilidades, no seu todo abraça Portugal".

Neste contexto, explicou que "foi muito útil" ter-se encontrado com os antigos chefes de Estado e ter podido "ouvir e registar" o que pensam sobre as relações entre Portugal e o Brasil, o Mercosul e a União Europeia ou o papel de Portugal e Brasil na comunidade lusófona (CPLP).

"É muito importante quando se tem a oportunidade de ter estes interlocutores, além dos interlocutores oficiais", disse.

Durante a visita, o Presidente português teve oportunidade ainda de ouvir preocupações da comunidade portuguesa no Brasil que, no contexto da pandemia de covid-19, se prendem sobretudo com o não reconhecimento na Europa das vacinas administradas no Brasil, tendo assegurando que decorrem negociações para tentar chegar a um acordo de reconhecimento mútuo entre os dois países.

No domingo, num encontro com a comunidade portuguesa de Brasília, Marcelo Rebelo de Sousa, sublinhou o papel dos portugueses no reforço das relações entre os dois países e deixou a garantia de que no próximo ano visitará novamente o Brasil.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, anunciou a visita no Mindelo, ilha cabo-verdiana de São Vicente, onde participou no conselho de ministros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).
Apesar de declararem a intenção do executivo brasileiro de se envolver nas relações com a CPLP, nem Bolsonaro nem os membros do seu Governo referiram quaisquer intenções no que ao "aprofundamento de relações" com Portugal diz respeito.
"Ganhasse quem ganhasse, Haddad ou Bolsonaro, Portugal deve manter ótimas relações com o Estado brasileiro, independentemente de quem é o seu Presidente", defendeu o dirigente do PSD Tiago Moreira de Sá. "Portugal tem de ter uma boa relação com a atual presidência do Brasil", acrescentou o professor universitário, doutorado em História das Relações Internacionais.
TOPSHOT - Jair Bolsonaro, far-right lawmaker and presidential candidate for the Social Liberal Party (PSL), gestures to supporters during the second round of the presidential elections, in Rio de Janeiro, Brazil on October 28, 2018. - Brazilians will choose their president today during the second round of the national elections between the far-right firebrand Jair Bolsonaro and leftist Fernando Haddad (Photo by MAURO PIMENTEL / AFP)
O primeiro-ministro português, António Costa, e o Presidente do Brasil, Michel Temer, realizam hoje a XII cimeira luso-brasileira, em Brasília, para retomar as reuniões bilaterais e passar em revista as diversas áreas de cooperação.