Escolha as suas informações

Lusodescendentes lideravam rede internacional de roubo de carros de luxo
Portugal 4 min. 18.06.2019

Lusodescendentes lideravam rede internacional de roubo de carros de luxo

Lusodescendentes lideravam rede internacional de roubo de carros de luxo

Foto: dpa-tmn
Portugal 4 min. 18.06.2019

Lusodescendentes lideravam rede internacional de roubo de carros de luxo

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
A PJ de Coimbra encontrou oito automóveis de luxo na casa dos pais de um dos jovens detidos, em Viseu. Os progenitores do lusodescendente foram constituídos arguidos, mas o presidente da Junta de Freguesia de Ferreira de Aves acredita na sua inocência.

Um grupo de quatro criminosos, três dos quais lusodescendentes, que pertenciam a uma rede internacional de roubo, viciação e comercialização de carros de luxo que operava em Paris, foram detidos pelas autoridades francesas. Esta é uma operação conjunta com a Polícia Judiciária (PJ) de Coimbra para desmantelar esta organização e seu 'modus operandi'.

Os quatro indivíduos,  com idades que rondam os 30 anos, estão indiciados por furto, viciação e associação criminosa e vão ser todos julgados em França, indicou ainda a polícia portuguesa.  

O alvo eram sobretudo os Ferraris, mas também Porsches, Mercedes, BMWs edições limitadas, entre outros de veículos de alta cilindrada. Só tudo o que fosse topo de gama interessava a quatro assaltantes que alegadamente furtavam os veículos em Paris e levavam-nos para uma ou mais oficinas na capital francesa. Ali as matrículas eram trocadas por outras falsas, e por vezes até era alterada a cor dos automóveis. Consequentemente, através, de contactos diretos, os automóveis, eram posteriormente vendidos a particulares.

Alguns desses veículos chegaram mesmo a ser levados para Portugal, conduzidos por um dos lusodescendentes agora detido. O indivíduo terá levado o veículo até à propriedade dos seus pais na freguesia de Ferreira de Aves, em Satão, Viseu.

O grupo que operava há quatro anos estava a ser investigado pela polícia francesa, nomeadamente a Brigada de Repressão do Banditismo de Paris, e foi desmantelado no início de junho. Os agentes detiveram os quatro indivíduos conseguindo reaver 12 carros de luxo, cinco dos quais da marca Ferrari, mais duas motos de água, objetos de elevado valor e 30 mil euros. 

Já em Portugal, em Satão, a PJ de Coimbra, juntamente com alguns elementos da polícia francesa, recuperou oito veículos, dois Ferraris, um Mercedes, um buggy todo o terreno, uma moto personalizada, duas moto 4 e duas motos de água. 

Na operação em Portugal "foram constituídos arguidos e interrogadas duas pessoas", "familiares diretos" de um dos lusodescendentes do grupo, disse ao Contacto o subdiretor da PJ de Coimbra, Valter Constantino, O agente confirmou também que três dos quatro homens detidos são lusodescendentes, todos filhos de pais portugueses. Dois deles têm dupla nacionalidade, e o outro só nacionalidade francesa. O Contacto soube que estes familiares diretos são os donos da propriedade onde foram apreendidos os oito veículos topo de gama, que depois de interrogados saíram em liberdade.

A grande maioria dos automóveis furtados tem um custo inicial "superior a 300 mil euros", referiu também Valter Constantino. Veículos que "não são nada fáceis de roubar", devido aos seus "múltiplos sistemas de segurança muito complexos". Mas algo que os assaltantes pareciam conseguir contornar.

Os carros eram depois vendidos a particulares, muitas vezes, provavelmente, pela metade do preço, frisou o subdiretor. Suspeita-se que um dos automóveis tenha sido vendido a um português que trabalha em França. 

"Estou convencido da inocência dos pais"

Os pais e familiares de dois dos três lusodescendentes detidos vivem em Ferreira de Aves. Além de amigos de longa data, os indivíduos eram também sócios de uma oficina que recupera carros acidentados, em Paris. A detenção dos dois jovens tem dominado o tema das conversas em Satão.

José Luís Vaz, presidente da Junta de Freguesia de Ferreira das Aves, declarou ao Contacto estar entristecido por ver a sua terra nas notícias por razões que "não são boas". José Luís Vaz referiu ainda ser "amigo dos pais" de um dos lusodescendentes e confirmou que oito automóveis topo de gama estavam na garagem da habitação dos progenitores. "Estou convencido da inocência destes pais. Se o filho for culpado, eles nem faziam ideia das coisas em que o filho estava metido. São pessoas boas e corretas. Estiveram 40 anos emigrados em França, ele motorista e ela a trabalhar nas limpezas. Agora vivem honestamente da reforma dos seus trabalhos", o presidente de Ferreira das Aves.

Segundo contou, o pai do jovem detido "não sabia que os carros poderiam ser ilegais, mostrava-os orgulhoso a toda a gente, não os tinha escondidos". "Dizia que o filho os tinha recuperado e tinha ficado com eles como uma espécie de reforma, que valiam algum dinheiro, mas acho que ele nem sabia o valor real dos automóveis", acrescentou. Segundo José Vaz, os carros seriam alugados para "casamentos e festas" e, algumas vezes  o pai dava uma volta com um dos carros "porque estavam parados há muito tempo". 

O autarca recordou ainda que quando o lusodescendente ia a Portugal no verão "costumava levar um dos carros quando ia de férias até ao Algarve". Voltando a defender o amigo, contou que "há uns tempos quando se inaugurou um stand de automóveis em Satão, levou para lá dois ou três automóveis, para o dia da inauguração". "Agora já imaginou o desgosto destes pais, com o filho detido, e eles que foram ouvidos pela polícia? São pessoas decentes. É um enorme desgosto para eles", lamentou, por fim.

A PJ vai continuar a cooperar com as autoridades francesas na investigação do caso.