Escolha as suas informações

Livre. Joacine afasta renúncia ao mandato de deputada e exalta-se no congresso
Portugal 3 min. 18.01.2020

Livre. Joacine afasta renúncia ao mandato de deputada e exalta-se no congresso

Livre. Joacine afasta renúncia ao mandato de deputada e exalta-se no congresso

Foto: Lusa
Portugal 3 min. 18.01.2020

Livre. Joacine afasta renúncia ao mandato de deputada e exalta-se no congresso

Lusa
Lusa
Deputada reagiu de forma exaltada, gritando que os argumentos são “uma mentira absoluta”. O partido entretanto adiou a decisão de votar a confiança política na deputada para os próximos órgãos eleitos.

A deputada única do Livre, Joacine Katar Moreira, afirmou hoje que "está completamente fora de questão" renunciar ao mandato.

"Fora de questão, completamente fora de questão", disse Joacine Katar Moreira, à chegada ao congresso que tem em cima da mesa retirar-lhe a confiança política.

A parlamentar não respondeu, porém, se essa decisão se mantém mesmo que passe a ser uma deputada não inscrita.

Já na sua intervenção no Congresso, Joacine Katar Moreira reagiu de forma exaltada, à proposta de retirada de confiança da assembleia do partido, gritando que os argumentos são “uma mentira absoluta”.

“Isto é inadmissível, isto é mentira, tenham vergonha, mentira absoluta!”, disse de forma exaltada a deputada, batendo no púlpito onde subiu para reagir às considerações contidas na resolução da 42.ª Assembleia do partido.

“Como é que isto é possível? Como ousam dizer isto?”, reiterou, gritando, enquanto a mesa do congresso pedia calma à deputada.

Numa declaração com aproximadamente 10 minutos, Joacine lembrou que apresentou ao congresso documentação com o trabalho elaborado ao longo de dois meses de mandato, apelando à sua consulta e repetindo que o relatório feito pela assembleia do partido está cheio de “inverdades”.

A deputada do Livre, eleita nas últimas eleições legislativas de outubro, chegou ao local onde decorre o congresso, em Lisboa, pelas 10:20, cinco minutos depois do seu assessor, Rafael Esteves Martins.

Questionada pelos jornalistas à chegada ao congresso, Joacine Katar Moreira rejeitou ser a responsável pela situação de mal-estar vivida no partido.

Apontando que não irá apresentar "nenhuma moção" ao congresso, a deputada disse igualmente que será necessário "esperar que haja mais desenvolvimentos".

A resolução de retirada de confiança política a Joacine Katar Moreira e a forma de organização interna do Livre deverão estar no centro da discussão do IX Congresso do partido que se realiza hoje e domingo em Lisboa. No entanto, o partido adiou a decisão de votar a confiança política na deputada para os próximos órgãos eleitos do partido, que serão escolhidos este domingo.

O IX Congresso do Livre, que decorre no Centro Cívico Edmundo Pedro, será o primeiro desde a eleição da deputada única e do clima de tensão instalado entre a estrutura partidária e a representação parlamentar.

Na passada quinta-feira, a assembleia do partido Livre, órgão máximo entre congressos, decidiu propor ao congresso a retirada de confiança política na sua deputada, justificando, numa resolução, que “não se vislumbra da parte da deputada, Joacine Katar Moreira, qualquer vontade em entender a gravidade da sua postura, nem intenção de a alterar”.

Segundo o Grupo de Contacto (GC), Joacine Katar Moreira, desrespeitou os pontos específicos da 40.º resolução, na qual se apelava a um trabalho “de confiança” entre o GC e a deputada, após a incidente devido à abstenção num voto sobre a Palestina proposto pelo PCP.

A deputada descurou, “reiteradamente, a comunicação e envolvimento dos órgãos do partido”, nomeadamente nas negociações com o Governo relativamente ao OE2020, recusando-se a revelar o sentido de voto do Livre até ao momento da votação, “contra o conselho do GC”, aponta a resolução.

Antes da divulgação desta resolução, foi conhecida uma moção específica intitulada de “Recuperar o Livre, resgatar a política”, que pede à sua única deputada para renunciar ao mandato e, caso tal não aconteça, que lhe seja retirada confiança política.

O Livre conseguiu eleger, pela primeira vez, uma deputada à Assembleia da República nas últimas eleições legislativas de 6 de outubro de 2019.

Joacine Katar Moreira, que faz parte do Grupo de Contacto ainda em funções, não integra a lista única de candidatos à direção do Livre nem apresentou nenhuma candidatura individual à assembleia. Rui Tavares, membro fundador do partido, apresentou uma recandidatura à Assembleia, órgão do qual faz parte.


Notícias relacionadas