Escolha as suas informações

Lisboa disponibiliza apoio a cidadãos retidos e alojamento para refugiados
Portugal 28.02.2022
Ucrânia

Lisboa disponibiliza apoio a cidadãos retidos e alojamento para refugiados

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas (D), ladeado pela embaixadora da Ucrânia em Portugal, Inna Ohnivets (E), durante a conferência de imprensa para apresentação de um conjunto de medidas destinadas, no imediato, a apoiar as famílias ucranianas em Lisboa.
Ucrânia

Lisboa disponibiliza apoio a cidadãos retidos e alojamento para refugiados

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas (D), ladeado pela embaixadora da Ucrânia em Portugal, Inna Ohnivets (E), durante a conferência de imprensa para apresentação de um conjunto de medidas destinadas, no imediato, a apoiar as famílias ucranianas em Lisboa.
Foto: LUSA
Portugal 28.02.2022
Ucrânia

Lisboa disponibiliza apoio a cidadãos retidos e alojamento para refugiados

Lusa
Lusa
Para todos os ucranianos que precisam de ajuda e para todos os que querem ajuda, o município tem disponível a partir de agora uma linha telefónica 800 910 111 e o endereço de email sosucrania@cm-lisboa.pt, indicou o presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas.

A câmara de Lisboa vai abrir o refeitório municipal de Monsanto para apoiar ucranianos retidos na cidade e criar um centro de acolhimento de emergência para refugiados da Ucrânia num pavilhão da Polícia Municipal.

Para todos os ucranianos que precisam de ajuda e para todos os que querem ajuda, o município tem disponível a partir de agora uma linha telefónica 800 910 111 e o endereço de email sosucrania@cm-lisboa.pt, indicou o presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas (PSD), numa conferência de imprensa conjunta com a embaixadora da Ucrânia, Inna Ohnivets.


Manifestantes concentram-se em frente ao Palácio de Belém durante um Cordão Humano pela Paz na Ucrânia que fez um percurso do Restelo até Belém, Lisboa, 26 de fevereiro de 2022.
"Obrigada, Portugal". Centenas de pessoas esperaram por Marcelo em Belém
O que começou por ser um cordão humano transformou-se numa concentração de várias centenas de pessoas em frente à residência oficial do Presidente da República português, em Belém.

“Lisboa está realmente com Kiev, com a Ucrânia, com o povo ucraniano”, afirmou Carlos Moedas, referindo que o sentimento de solidariedade “é tão forte”: “Com o coração dos lisboetas, queremos ajudar em tudo aquilo que seja necessário, não podemos ter essa hesitação”.

O plano de solidariedade da cidade de Lisboa, centralizado na Câmara Municipal e que inclui as 24 juntas de freguesia lisboetas, divide-se em duas fases, em que a primeira passa por “dar um apoio imediato de alimentação, alojamento, vestuário, medicação e apoio psicossocial” aos ucranianos retidos na capital portuguesa, que se estima serem cerca de 50.

A segunda fase, implementada em coordenação com a embaixada da Ucrânia em Portugal, prevê a construção de "um centro de acolhimento de emergência para refugiados num pavilhão desportivo na sede da Polícia Municipal de Lisboa”, na zona da Praça de Espanha, e que assim que for necessário estará pronto no máximo de 72 horas.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas