Escolha as suas informações

Legislativas: Projeções dão vitória ao PS
Portugal 2 min. 06.10.2019

Legislativas: Projeções dão vitória ao PS

Legislativas: Projeções dão vitória ao PS

Foto: Lusa
Portugal 2 min. 06.10.2019

Legislativas: Projeções dão vitória ao PS

Bruno Carlos AMARAL DE CARVALHO
Bruno Carlos AMARAL DE CARVALHO
De acordo com as projeções divulgadas até ao momento, o PS alcançaria o primeiro lugar nas eleições legislativas. O PSD cai para segundo. Três novos partidos podem entrar na Assembleia da República.

Numa noite eleitoral que se prevê longa, o PS ficaria à frente apesar de ainda não estar claro se é possível ou não uma maioria absoluta, de acordo com as projeções. 

Projeção RTP:
PS - 34% a 39%
PSD - 27% a 31%
BE - 9% a 12%
CDU - 6% a 8%
CDS-PP 3% a 5%
PAN - 3% a 5%

Segundo a projeção da RTP a Iniciativa Liberal e o Livre devem mesmo eleger deputados, e o Chega e a Aliança podem chegar a eleger um deputado cada um. 

Projeção SIC:
PS - 36% a 40%
PSD - 24,2% a 28,2%
BE - 8,9% a 11,9%
CDU - 4,7% a 7,3%
CDS-PP - 2,4% a 5%
PAN - 2,5% a 4,5%
IL- 0,6% a 2,6%
Livre - 0,5% a 2,5%
Chega - 0,4% a 2,4%

Resultados no estrangeiro só a 16 de outubro

Só a 16 de outubro é que vão ser contados os votos dos círculos da Europa e Fora da Europa, que elegem quatro deputados. Após o apuramento destes dois círculos, fica fechado o apuramento geral dos resultados das legislativas. Há quatro anos, os dois assentos pela Europa ficaram divididos entre PSD e PS. Já os dois lugares pelo círculo fora da Europa foram para o PSD.

Abstenção histórica

Mais de 10,8 milhões de eleitores recenseados no território nacional e no estrangeiro foram este domingo chamados às urnas para escolher a constituição da Assembleia da República na próxima legislatura, de onde se espera que saia o futuro governo. 

O número de eleitores inscritos nos cadernos eleitorais subiu em relação à quatro anos (1,1 milhões) devido ao recenseamento automático no estrangeiro mas o número de eleitores que participou nas legislativas foi o mais baixo de sempre.

Já em 2015, a taxa de abstenção tinha atingido o recorde de 44,4%. Números que contrastam fortemente com os dados das primeiras idas às urnas. Em 1975, nas eleições para a Assembleia Constituinte, a taxa de abstenção foi de apenas 8,3%. No ano seguinte, nas primeiras legislativas, foi de 16,4%.

As mesas de voto abriram às 08:00 e fecharam às 19:00 em Portugal Continental e na Madeira, uma hora mais tarde nos Açores, devido à diferença horária. Esta foi a 16.ª vez que os portugueses foram às urnas para votar em eleições legislativas, concorrendo a estas eleições um número recorde de forças políticas – 20 partidos e uma coligação – embora apenas 15 se tenham apresentado a todos os círculos eleitorais.

Nestas eleições, houve quatro partidos novos - Aliança, Reagir Incluir Reciclar (RIR), Chega, Iniciativa Liberal, sendo a única coligação a CDU, que junta PCP e PEV e independentes. Outros dos partidos políticos concorrentes são: PSD, PS, BE, CDS-PP, PAN, PNR, PDR, PCTP-MRPP, PPM, PTP, Livre,MPT, PURP, Nós, Cidadãos!, MAS e JPP.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Açores: PS repete maioria absoluta
A projeção à boca das urnas realizada hoje pela Universidade Católica para a RTP indica que o PS repete a maioria absoluta nas regionais dos Açores, obtendo entre 50 a 55% dos votos.