Escolha as suas informações

João Perna: Ex-motorista de Sócrates em prisão domiciliária a partir de hoje
Portugal 23.12.2014 Do nosso arquivo online

João Perna: Ex-motorista de Sócrates em prisão domiciliária a partir de hoje

João Perna: Ex-motorista de Sócrates em prisão domiciliária a partir de hoje

Foto: Lusa
Portugal 23.12.2014 Do nosso arquivo online

João Perna: Ex-motorista de Sócrates em prisão domiciliária a partir de hoje

O ex-motorista de José Sócrates, João Perna, em prisão preventiva desde Novembro, vai ficar a partir de hoje em prisão domiciliária, após decisão do Tribunal Central de Instrução Criminal, disse à Lusa o advogado Ricardo Candeias.

Segundo explicou, foram cumpridas as últimas formalidades dos serviçso prisionais para verificação das condições de vigilância eletrónica na habitação do arguido, depois de na semana passada o juiz Carlos Alexandre ter aceitado a proposta do Ministério Público para alterar a medida de coação de prisão preventiva para obrigação de permanência na residência com pulseira eletrónica.

Na altura, o advogado do arguido explicou à Lusa que o procurador do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) tinha acolhido a “tese da defesa e achou que havia motivos para alterar a medida de coação" aplicada ao motorista do ex-primeiro-ministro.

João Perna está em prisão preventiva desde o passado dia 24 de novembro, por indícios de fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e posse de arma proibida.

O ex-motorista de José Sócrates foi detido no âmbito da "Operação Marquês", que levou igualmente à prisão preventiva do ex-primeiro-ministro e do seu amigo de longa data e empresário Carlos Santos Silva, num processo que envolve suspeitas de corrupção, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais.


Notícias relacionadas

BES: Ricardo Salgado libertado e isento de caução
O juiz Carlos Alexandre revogou na sexta-feira a medida de coação de prisão domiciliária aplicada ao ex-presidente do Banco Espírito Santo (BES), Ricardo Salgado, que fica sujeito a apresentações periódicas às autoridades, disse à Lusa fonte ligada ao processo.