Escolha as suas informações

Jerónimo de Sousa afasta nova 'geringonça' com PCP
Portugal 07.10.2019

Jerónimo de Sousa afasta nova 'geringonça' com PCP

Jerónimo de Sousa afasta nova 'geringonça' com PCP

Foto: LUSA
Portugal 07.10.2019

Jerónimo de Sousa afasta nova 'geringonça' com PCP

O secretário-geral comunista disse este domingo, perante os resultados já conhecidos das eleições legislativas, que nada “obsta” a que o socialista António Costa seja indigitado novamente primeiro-ministro, sublinhando que PCP e Verdes votarão caso a caso, no parlamento.

No centro de trabalho comunista Vitória, na avenida da Liberdade, em Lisboa, Jerónimo de Sousa assumiu assim que a denominada "Geringonça" - as posições conjuntas entre PS, BE, PCP e PEV de 2015 - chegou ao fim, pois "não haverá repetição da cena do papel", referindo-se à assinatura dos acordos bilaterais, que desta vez não serão necessários, tendo em conta os resultados expansivos do PS. E clarificou que "será em função das opções do PS que a CDU determinará o seu posicionamento".

O resultado obtido pela CDU, "traduzido numa redução da expressão eleitoral e da diminuição de deputados", é um "fator negativo" e não pode ser lido fora da "operação sustentada na mentira, difamação e preconceitos" que teve o PCP e o PEV como alvos e "favoreceu outras forças politicas", considerou Jerónimo de Sousa. "Os interesses do povo saem enfraquecidos", insistiu.

"O que se impõe é uma política alternativa patriótica e de esquerda que PS não está em condições de assegurar", disse o dirigente comunista, que aproveitou o discurso desta noite para reiterar os objetivos traçados: subida do salário mínimo para 850 euros, aumento geral das pensões de reforma, creche gratuita para crianças até três anos de idade, habitação com garantias, investimento em falta no SNS e serviços, 1% do Orçamento do Estado para a Cultura, e garantia da proteção da natureza, meio ambiente e equilíbrio ecológico.

Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.