Escolha as suas informações

Humorista quer que Benfica se afaste de André Ventura
Portugal 2 min. 13.10.2019

Humorista quer que Benfica se afaste de André Ventura

Ricardo Araújo Pereira diz que o líder do Chega usa o Benfica.

Humorista quer que Benfica se afaste de André Ventura

Ricardo Araújo Pereira diz que o líder do Chega usa o Benfica.
Portugal 2 min. 13.10.2019

Humorista quer que Benfica se afaste de André Ventura

Ricardo Araújo Pereira acusa o líder do Chega de "usar e abusar" do clube da Luz para chegar ao Parlamento. E é de extrema-direita. A polémica instalou-se.

Ricardo Araújo Pereira (RAP) e outros três benfiquistas escreveram uma carta aberta ao Benfica pendido que o seu clube se demarcasse de André Ventura, líder do partido Chega que, acusam “usa e abusa do Benfica para criar a sua persona política”.

“O Chega chegou ao parlamento porque é liderado por uma personagem que é conhecida apenas e só por causa do Benfica”, escrevem os autores na carta sublinhando que “a instrumentalização política do Benfica é errada por princípio”.

Ricardo Araújo Pereira
Ricardo Araújo Pereira

Neste caso, alertam “é ainda mais grave, porque o Chega é um partido de extrema-direita abertamente anti-sistema e xenófobo, isto é, um partido que é a negação da identidade do Benfica”.

 O clube mais popular de Portugal

Para RAP e os outros autores “o clube de Eusébio, Coluna, Renato e Gedson, entre outros, não pode ser associado a uma figura xenófoba. A claque do Benfica tem brancos, mestiços e negros. O Benfica é um clube de angolanos, cabo-verdianos, moçambicanos”. E continuam: “O Benfica é o clube mais popular de Portugal, é de ricos e pobres, de brancos e negros, de muçulmanos e ciganos”.

Além do humorista a carta é assinada por Jacinto Lucas Pires, Henrique Raposo e Pedro Norton.

 Demarcação aos comentadores

Na sexta-feira, no programa “Governo Sombra” da TVI, Ricardo Araújo Pereira (RAP) foi convidado a falar sobre a carta e a polémica que esta gerou. Sobretudo com troca de críticas entre este humorista e Pedro Marques Lopes, portista assumido, comentador desportivo e político, no programa Eixo do Mal, da Sic.

André Ventura, líder do Chega
André Ventura, líder do Chega
Foto: Lusa

 Para RAP já está na altura do seu clube do coração se demarcar de André Ventura, que durante alguns anos foi comentador desportivo da CMTV e foi aí que se tornou conhecido, antes de enveredar pela carreira política.

 "O que peço é que o Benfica faça uma demarcação relativamente a André Ventura e a outros comentadores, que é devida há muito tempo”, declarou o humorista no programa “Governo Sombra” da TVI, na passada sexta-feira.

"O homem está ali porque o Benfica quis"

“Toda a gente sabe que aquele homem está ali porque o Benfica quis e se calhar até apoia, como qualquer clube... pedir isto belisca a liberdade de expressão de alguém? Não vejo onde...", declarou no programa.

Os clubes têm influência nos comentadores televisivos, afirmou o humorista contandoo: “Eu próprio já fui convidado e sei como funciona”.

Luis Filipe Vieira , presidente do Benfica
Luis Filipe Vieira , presidente do Benfica
Photo: AFP

A resposta de Vieira

Só que Luís Filipe Vieira não é da mesma opinião e já respondeu. O presidente do Benfica remeteu a resposta para os estatutos do clube, nos quais é indicado que o clube não diferencia os sócios "em razão da raça, género, sexo, ascendência, língua, nacionalidade ou território de origem, condição económica e social e convicções políticas, ideológicas e religiosas", declarou à Lusa.

A defesa de André Ventura

Também o próprio André Ventura já se manifestou.  “Sempre separei política do futebol. Nunca usei o nome do Benfica, nem assisti a qualquer o jogo durante a campanha. Saúdo a posição do Benfica em não fazer comentários e remetendo para os estatutos”, declarou ao jornal Record.


Notícias relacionadas

OPINIÃO: Ser benfiquista…
Avenida da liberdade, por Sérgio Ferreira Borges - "Os clubes são os principais responsáveis e, por essa razão, deviam tomar medidas, para desratizar os estádios e tornar respirável o ambiente circundante do futebol."
O adepto benfiquista agredido pela polícia em Guimarães, José Guimarães (ao centro), com os filhos Tomas (dta.) e Gonçalo