Escolha as suas informações

Grávidas podem iniciar vacinação em qualquer altura da gravidez
Portugal 18.02.2022 Do nosso arquivo online
Covid-19

Grávidas podem iniciar vacinação em qualquer altura da gravidez

Covid-19

Grávidas podem iniciar vacinação em qualquer altura da gravidez

Foto: Shutterstock
Portugal 18.02.2022 Do nosso arquivo online
Covid-19

Grávidas podem iniciar vacinação em qualquer altura da gravidez

Lusa
Lusa
Apesar da norma anterior afirmar que “não existe idade gestacional limite para o início da vacinação”, a DGS recomendava que a vacinação da grávida ocorresse a partir das 21 semanas de gestação, após a realização da ecografia morfológica.

As grávidas podem iniciar o processo de vacinação contra a covid-19 em qualquer altura da gravidez, segunda a norma da campanha de vacinação da Direção-Geral da Saúde (DGS) hoje atualizada.

Apesar da norma anterior afirmar que “não existe idade gestacional limite para o início da vacinação”, a DGS recomendava que a vacinação da grávida ocorresse a partir das 21 semanas de gestação, após a realização da ecografia morfológica.

Na norma “Campanha de vacinação contra a covid-19”, hoje atualizada, a DGS diz que “não existe idade materna ou gestacional limite para o início da vacinação”.

“A vacinação contra a covid-19 na grávida deve respeitar um intervalo mínimo de 14 dias em relação à administração de outras vacinas. No entanto, se necessário, para a vacinação atempada, poderá ser utilizado qualquer intervalo, incluindo a coadminstração em relação à vacina contra a gripe e à vacina contra a tosse convulsa”, explica.

Vacinação das grávida é prioritária  

Salienta ainda que “a administração de imunoglobulina anti-D na grávida não deve ser adiada”, podendo ser administrada no mesmo dia ou com qualquer intervalo de tempo em relação à vacina contra a covid-19.

Num comunicado divulgado na quinta-feira, a DGS apelou às grávidas para fazerem a dose de reforço da vacina contra o vírus SARS-CoV-2, que provoca a covid-19, sublinhando que a vacinação das grávida é prioritária, "pelo risco acrescido de complicações relacionadas com a covid-19 neste grupo".

A DGS recomenda também a vacinação com uma dose de reforço em pessoas com imunossupressão grave que receberam uma dose adicional para completar o esquema vacinal primário, com o objetivo de aumentar a proteção desta população.

Relativamente às pessoas que, após avaliação médica em consulta de Imunoalergologia, apresentem contraindicação para administração de uma vacina contra a covid-19, a DGS recomenda na norma que “deve ser, se possível e clinicamente adequado, completado o esquema vacinal (primário ou dose de reforço) com uma vacina contra a covid-19 de outra marca.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas