Escolha as suas informações

Governo quer que deputadas ameaçadas tenham proteção policial
Portugal 14.08.2020

Governo quer que deputadas ameaçadas tenham proteção policial

Governo quer que deputadas ameaçadas tenham proteção policial

Foto: AFP
Portugal 14.08.2020

Governo quer que deputadas ameaçadas tenham proteção policial

Redação
Redação
O secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, confirmou ter contactado as paralmentares e remeteu outros esclarecimentos para o Ministério da Administração Interna.

O Governo contactou as deputadas visadas nos emails de ameaça neonazis. O secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, confirmou ao jornal Público, que foi "intermediário" na oferta de segurança da PSP a estas parlamentares. Duarte Cordeiro remeteu mais esclarecimentos para o Ministério da Administração Interna.

Ameaças graves

A análise da ameaça do email  é realizada pelo Serviço de Informações e de Segurança (SIS) e, conforme as conclusões, as autoridades podem sugerir ou não protecção policial especial. Contactada, pelo Público, sobre a oferta de protecção policial, fonte oficial da PSP limitou-se a dizer que a instituição “mantinha reserva” sobre o assunto. 

“É uma situação muito grave que tem de merecer da parte das autoridades uma resposta adequada e nunca pode ser tratada como histeria”, disse diário lisboeta Alexandre Guerreiro, analista de justiça e segurança e ex-elemento da secreta portuguesa Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED). “O grave no meio de tudo isto é a imprevisibilidade com que os visados se vão debater no dia-a-dia, porque não sabem se vão ser atacados hoje ou daqui a um mês, circunstância que lhes tira o sossego e limita a actividade política.” 

Casos de violência

A 2 de junho de 2019 em Kassel na Alemanha, um neonazi matou um autarca germânico, defensor de políticas pró-refugiados. Segundo o ministro alemão do Interior, Horst Seehofer, o neonazi Stephan Ernst – que já contava com antecedentes criminais – justificou o homicídio face às políticas a favor dos refugiados defendidas pelo autarca alemão.

 Em 2016 no Reino Unido. A deputada trabalhista Helen Joanne Cox foi assassinada por um homem bem integrado no circuito da extrema-direita, ao ponto de ter feito num comício a segurança pessoal de uma das figuras mais conhecidas desse quadrante político no país.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.