Escolha as suas informações

Furacão "Lorenzo" provoca 127 ocorrências e 39 desalojados nos Açores
Portugal 2 min. 02.10.2019

Furacão "Lorenzo" provoca 127 ocorrências e 39 desalojados nos Açores

Furacão "Lorenzo" provoca 127 ocorrências e 39 desalojados nos Açores

Foto: Lusa
Portugal 2 min. 02.10.2019

Furacão "Lorenzo" provoca 127 ocorrências e 39 desalojados nos Açores

O número de pessoas desalojadas nos Açores devido à passagem do furacão “Lorenzo” aumentou para 39 e o número de ocorrências para 127, anunciou hoje a Proteção Civil regional.

“Foram realojadas 39 pessoas, na sua maioria na ilha do Faial, tenho esta sido uma das mais afetadas, não se tendo registado, no entanto, qualquer vítima”, avançou o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, em comunicado de imprensa.

Na zona costeira do concelho das Lajes na ilha do Pico foram ainda retiradas "cerca de 100 pessoas", por precaução.

Segundo a entidade, durante o período da madrugada “foram registadas 127 ocorrências, nomeadamente, duas na ilha do Corvo, 21 nas Flores, 46 na ilha do Faial, 20 no Pico, 19 de São Jorge, oito na Graciosa, nove na Terceira, e duas em São Miguel”.

“Estas ocorrências estão, sobretudo, relacionadas com obstruções de vias, danos em habitações, quedas de árvores, inundações e galgamentos costeiros”, avançou a Proteção Civil açoriana.

A entidade recomenda à população que “evite circular e que esteja atenta às informações e indicações da Proteção Civil, adotando as medidas de autoproteção”.

A rajada de vento máxima registada pelo IPMA foi de 163 km/h, às 08:25, no Corvo.

Santa Cruz das Flores com estragos "bastante avultados"

O presidente da Câmara de Santa Cruz das Flores, nos Açores, afirmou nesta quarta-feira que a passagem do furacão Lorenzo provocou "danos avultados" em vias, habitações, no património municipal e no porto, tendo sido necessário proceder a três realojamentos.

"A sinalização rodoviária está praticamente danificada, árvores caídas, estradas interrompidas e edifícios públicos, como escolas, o ginásio, o museu e o auditório também estão bastante danificados", disse à agência Lusa José Carlos Mendes, salientando que o concelho foi "atingido severamente". De acordo com o autarca, estão "a decorrer trabalhos de limpeza", com o objectivo de tornar "as vias circuláveis, mas sempre com algumas precauções".

"Felizmente não tivemos vítimas, mas os estragos materiais são bastante avultados", referiu o presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz das Flores, acrescentando que os estragos ainda não estão totalmente contabilizados.

Devido à passagem do furacão, foi ainda necessário proceder "a três realojamentos de três famílias, duas das quais porque moravam junto à costa e um outro agregado familiar cuja casa ficou descoberta", segundo indicou.

O autarca adiantou também que foram registados "estragos no porto" local, que "estava a ser reabilitado", a par do que sucedeu na infra-estrutura das Lajes das Flores, "onde ocorreram sérios prejuízos ao nível do molhe".

José Carlos Mendes referiu que a situação "já está a ficar calma", sublinhando, no entanto, que "o vento ainda sopra com alguma intensidade" e que "a agitação marítima ainda está alta". A Lusa tentou contactar, sem sucesso, o autarca das Lajes das Flores.

Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.