Escolha as suas informações

Fotogaleria. O efeito desolador da seca em Portugal
Portugal 10 2 min. 04.02.2022 Do nosso arquivo online
Clima

Fotogaleria. O efeito desolador da seca em Portugal

Embarcações e o cais de embarque do Clube Náutico de Figueiró dos Vinhos, nas margens da Ribeira de Alge junto à foz da ribeira com o mesmo nome que se cruza com o Rio Zêzere, no concelho de Figueiró dos Vinhos, e onde a descida do nível da água quase permite atravessar o rio a pé.
Clima

Fotogaleria. O efeito desolador da seca em Portugal

Embarcações e o cais de embarque do Clube Náutico de Figueiró dos Vinhos, nas margens da Ribeira de Alge junto à foz da ribeira com o mesmo nome que se cruza com o Rio Zêzere, no concelho de Figueiró dos Vinhos, e onde a descida do nível da água quase permite atravessar o rio a pé.
Foto e legenda: Lusa
Portugal 10 2 min. 04.02.2022 Do nosso arquivo online
Clima

Fotogaleria. O efeito desolador da seca em Portugal

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Todo o território de Portugal continental está em situação de seca, com o interior e sul do país a serem afetados de forma mais severa e extrema. Até ai final de fevereiro não há previsão de que o cenário se inverta.

Portugal está em seca meteorológica desde novembro de 2021 e a situação tem-se agravado. Com o inverno já a meio e sem uma gota de chuva a cair do céu, os caudais das barragens descem para níveis preocupantes expondo uma paisagem desoladora, que é mais comum, apesar de tudo, no verão do que durante a estação mais fria do ano. 

A seca atinge todo o território nacional, de norte a sul, e os agricultores fazem contas à vida, sem água para regar as culturas ou os pastos que alimentam os gado. Há produtores das Beiras e da Serra da Estrela que estão mesmo a vender os seus animais por falta de alimento.

Algumas autarquias também tomaram medidas para tentar conter os efeitos da seca. A Câmara de Vila Nova de Famalicão, por exemplo, desativou todos os sistemas de rega automáticos do concelho que estão sob gestão do município. Em Boticas, distrito de Vila Real, a Proteção Civil encheu o depósito de água que serve a aldeia de Valdegas, uma situação inédita no inverno neste concelho, noticia a Lusa.

Em janeiro, refere a atualização mais recente do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, houve um aumento significativo da área e da intensidade da situação de seca. Todo o território continental português estava em seca nesse mês, com 1% em seca fraca - na zona do Minho; 54% em seca moderada - sobretudo Norte, Centro e partes dos distritos de Santarém, Évora e Portalegre; 34% em seca severa - zona Oeste, sul do distrito de Santarém, zonas mais interiores do Alto Alentejo, parte da península de Setúbal e dos distritos de Beja e Faro; e 11% em seca extrema - metade dos distritos de Setúbal e Beja e quase toda a região do Algarve.

Em fevereiro não se preveem grandes alterações. O boletim de 27 de janeiro do IPMA avançava que seria "muito provável o agravamento da situação de seca meteorológica no final de fevereiro, em todo o território do continente".

"Para a situação de seca diminuir significativamente ou mesmo cessar no mês de fevereiro, seria necessário que nas regiões do Norte e Centro ocorressem quantidades de precipitação superiores a 200/250 mm e na região Sul superiores a 150 mm, situação que somente ocorre em 20% dos anos", diz o instituto de meteorologia.

Enquanto não chove, as imagens da seca no país mostram um cenário preocupante, lembrando como Portugal está cada vez mais exposto a eventos climatéricos extremos.

Veja as imagens na galeria em baixo:


Com Lusa

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O mês de Julho deste ano ocupa o terceiro lugar na lista das 10 situações de seca mais gravosas neste mês desde 1945 em Portugal, com 79% do território em seca severa ou extrema, segundo um especialista do IPMA.