Escolha as suas informações

Ferro assinala 125 anos de relações com Luxemburgo e pede amizade em prol de “Europa melhor”
Portugal 2 min. 21.12.2016

Ferro assinala 125 anos de relações com Luxemburgo e pede amizade em prol de “Europa melhor”

Eduardo Ferro Rodrigues (à direita), na inauguração da exposição

Ferro assinala 125 anos de relações com Luxemburgo e pede amizade em prol de “Europa melhor”

Eduardo Ferro Rodrigues (à direita), na inauguração da exposição
Foto: Manuel Dias
Portugal 2 min. 21.12.2016

Ferro assinala 125 anos de relações com Luxemburgo e pede amizade em prol de “Europa melhor”

O presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, defendeu hoje que os 125 anos de relações diplomáticas e de amizade entre Portugal e o Luxemburgo sejam usados "em prol de uma Europa melhor".

O presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, defendeu hoje que os 125 anos de relações diplomáticas e de amizade entre Portugal e o Luxemburgo sejam usados "em prol de uma Europa melhor".

"Saibamos utilizar esta amizade em prol de uma Europa melhor, à altura do seu tempo e capaz de dar resposta aos anseios dos seus cidadãos e aos desafios que tem pela frente", afirmou Ferro Rodrigues na inauguração da exposição "Luxemburgo - Portugal, 125 anos de relações diplomáticas", na Assembleia da República.

O presidente do parlamento português destacou a reciprocidade e solidariedade dessa amizade, com Portugal a receber a família Grão-Ducal e o Governo luxemburguês no exílio, nos anos 40, graças à ação do cônsul Aristides de Sousa Mendes.

"Nas décadas seguintes, foi a vez o Luxemburgo retribuir. Os luxemburgueses receberam e acolheram os portugueses. E os portugueses no Luxemburgo responderam dando o seu melhor nas mais diversas áreas de atividade", afirmou, sublinhando que numa população de cerca de 560 mil habitantes vivem cerca de 100 mil portugueses e o português é a língua estrangeira mais falada.

A exposição assinala os 125 anos das relações diplomáticas entre Portugal e o Grão-Ducado do Luxemburgo que se cumprem este ano, quando o Visconde de Pindela, então Embaixador de Portugal em Haia, é designado ‘enviado extraordinário e ministro plenipotenciário junto de sua alteza real o grão-duque do Luxemburgo'.

Parte do espólio do Visconde de Pindela pode ser visto nesta exposição, como cartas e outros documentos, mas também fotografias e até um tricórnio usado pelo diplomata, cujos descendentes estiveram presentes, assim como o embaixador do Luxemburgo em Portugal.

Organizada em conjunto com a embaixada de Portugal no Luxemburgo, a mostra inclui igualmente peças dos Arquivos Nacionais do Luxemburgo, do Museu da Assembleia da República e do Instituto Diplomático do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Na sua intervenção, Ferro Rodrigues recordou ainda "a forma generosa" como foi recebido no Luxemburgo em setembro, onde esteve em deslocação oficial.

Portugal foi dos primeiros países a estabelecer relações diplomáticas com o território, após a posse de Adolfo de Nassau como grão-duque do Luxemburgo, em 1890, e, em 1893, a ligação aprofundou-se com o casamento do grão-duque herdeiro Guilherme com a princesa portuguesa Ana Maria de Bragança.

Os principais momentos da história das relações Portugal-Luxemburgo e da vida do visconde de Pindela foram reunidos num documento produzido para a exposição, que se encontra distribuída pelo corredor que une a sala do senado ao gabinete do presidente da Assembleia da República.


Notícias relacionadas