Escolha as suas informações

Face Oculta. Condenado entrega-se na prisão de Évora, mas foi rejeitado
Portugal 2 min. 17.01.2019

Face Oculta. Condenado entrega-se na prisão de Évora, mas foi rejeitado

Face Oculta. Condenado entrega-se na prisão de Évora, mas foi rejeitado

Foto: Shutterstock
Portugal 2 min. 17.01.2019

Face Oculta. Condenado entrega-se na prisão de Évora, mas foi rejeitado

O processo Face Oculta começou a ser julgado em 2011 e está relacionado com uma alegada rede de corrupção que teria como objetivo o favorecimento do grupo empresarial do sucateiro Manuel Godinho nos negócios com empresas do setor do Estado e privadas.

Manuel Guiomar, ex-funcionário da Refer, entrou esta terça-feira à tarde na prisão de Évora para cumprir uma pena de seis anos e meio de prisão. Mas foi rejeitado, porque esta prisão é para reclusos especiais, como o ex-ministro e banqueiro Armando Vara, arguido mais sonante do processo Face Oculta, que se apresentou esta quarta-feira em Évora.

Guiomar foi o primeiro arguido a ser preso no âmbito deste processo e foi condenado a uma pena de prisão de seis anos e meio por um crime de corrupção e quatro crimes de burla, refere o jornal Observador. O ex-funcionário ficou a saber, entretanto, que vai cumprir pena na cadeia de Castelo Branco, depois de ter estado 45 minutos dentro da prisão de Évora, estabelecimeto onde esteve também José Sócrates, em 2014, enquanto arguido no processo Operação Marquês (o ex-primeiro-ministro foi apanhado também nas escutas do processo Face Oculta, mas não foi constituído arguido).

"Gostava de ficar aqui na minha área de residência, mas leis são as leis e são os homens que decidem as leis, umas vezes mal, outras vezes bem, não vou discutir isso e, por isso, há que aceitar", disse Manuel Guiomar aos jornalistas, citado pelo Observador, à saída do estabelecimento prisional.

A prisão de Évora é destinada a detidos e reclusos que exercem ou exerceram funções em forças ou serviços de segurança, bem como detidos e reclusos que precisam de proteção especial e este não é o caso de Manuel Guiomar. "Foi-nos transmitido que tratando-se de um estabelecimento prisional com características especiais para determinado tipo de reclusos, o mesmo não poderia entregar-se aqui", disse a sua advogada, Poliana Ribeiro.

Ainda neste processo, Armando Vara, banqueiro e antigo ministro do governo de José Sócrates, apresentou-se esta quarta-feira em Évora para cumprir uma pena de cinco anos de prisão efetiva, por três crimes de tráfico de influências.

O coletivo de juízes deu como provado que o antigo ministro e ex-vice-presidente do BCP recebeu 25 mil euros do sucateiro Manuel Godinho, o principal arguido no caso, como compensação pelas diligências empreendidas em favor das suas empresas.

O processo Face Oculta, que começou a ser julgado em 2011, está relacionado com uma alegada rede de corrupção que teria como objetivo o favorecimento do grupo empresarial do sucateiro Manuel Godinho nos negócios com empresas do setor do Estado e privadas.

Além de Armando Vara e Manuel Godinho, foram arguidos no processo o ex-presidente da REN (Redes Energéticas Nacionais) José Penedos e o seu filho Paulo Penedos, entre outros.

Armando Vara é também um dos 28 arguidos no processo Marquês, em que o principal arguido é o ex-primeiro-ministro José Sócrates, cuja fase de instrução começa a 28 de janeiro.


Notícias relacionadas