Escolha as suas informações

Face Oculta:: Armando Vara, ex-ministro socialista, condenado a 5 anos prisão efetiva
Portugal 05.09.2014

Face Oculta:: Armando Vara, ex-ministro socialista, condenado a 5 anos prisão efetiva

O antigo ministro, Armando Vara (D), esta manhã à entrada do Tribunal de Aveiro momentos antes da leitura do acórdão do caso "Face Oculta".  PAULO NOVAIS/LUSA

Face Oculta:: Armando Vara, ex-ministro socialista, condenado a 5 anos prisão efetiva

O antigo ministro, Armando Vara (D), esta manhã à entrada do Tribunal de Aveiro momentos antes da leitura do acórdão do caso "Face Oculta". PAULO NOVAIS/LUSA
PAULO NOVAIS
Portugal 05.09.2014

Face Oculta:: Armando Vara, ex-ministro socialista, condenado a 5 anos prisão efetiva

O Tribunal de Aveiro condenou hoje o antigo ministro e ex-vice-presidente do BCP Armando Vara, arguido no processo "Face Oculta" a cinco anos de prisão efectiva.

Armando Vara foi condenado por três crimes de tráfico de influência de que estava acusado.

O processo "Face Oculta" envolve 36 arguidos, que estão acusados pelo Ministério Público (MP) de centenas de crimes de burla, branqueamento de capitais, corrupção e tráfico de influências.

Também o ex-presidente da REN (Redes Energéticas Nacionais) José Penedos a cinco anos de prisão efectiva, em cúmulo jurídico.

José Penedos foi condenado por dois crimes de corrupção e um crime de participação económica em negócio.

Manuel Godinho, o sucateiro, foi condenado a 17 anos e meio de prisão efetiva, no âmbito do processo face Oculta.

O coletivo de juízes dera como provada a associação criminosa da "rede tentacular" do sucateiro Manuel Godinho que tinha como objectivo conseguir favorecimentos em concursos para levantamentos de resíduos a troco de contrapartidas.

Nas alegações finais, o MP tinha pedido a condenação de todos os acusados, defendendo a aplicação de penas de prisão efetivas para 16 arguidos, incluindo Armando Vara, José Penedos, Paulo Penedos e Manuel Godinho, e penas suspensas para os restantes.

Todos os advogados de defesa tinham pedido a absolvição dos arguidos por insuficiência de provas.

Na sessão, estão presentes 24 dos 36 arguidos, incluindo Armando Vara e Manuel Godinho, destacando-se a ausência de José Penedos, que justificou a falta com a necessidade de acompanhar a mulher, que se encontra doente.


Notícias relacionadas