Escolha as suas informações

Ex-primeiro ministro já está em casa: Sócrates em domiciliária ao fim de 288 dias de preventiva
Portugal 04.09.2015 Do nosso arquivo online

Ex-primeiro ministro já está em casa: Sócrates em domiciliária ao fim de 288 dias de preventiva

José Sócrates chegou a casa por volta das 21h

Ex-primeiro ministro já está em casa: Sócrates em domiciliária ao fim de 288 dias de preventiva

José Sócrates chegou a casa por volta das 21h
Foto: LUSA
Portugal 04.09.2015 Do nosso arquivo online

Ex-primeiro ministro já está em casa: Sócrates em domiciliária ao fim de 288 dias de preventiva

O antigo primeiro-ministro José Sócrates passou esta sexta-feira a regime de prisão domiciliária, sujeito à medida de coação de obrigação de permanência na habitação e bem assim de proibição de contactos de forma direta ou indireta com diversas entidades e pessoas singulares.

O antigo primeiro-ministro José Sócrates passou esta sexta-feira a regime de prisão domiciliária, sujeito à medida de coação de obrigação de permanência na habitação e bem assim de proibição de contactos de forma direta ou indireta com diversas entidades e pessoas singulares.

Sócrates chegou a casa, pelas 21h, numa rua de Lisboa, perto da Alameda Afonso Henriques. Chegou numa carrinha azul escura, vestido de 't-shirt' cinzenta, calças de ganga e ténis.

Alguns populares no local aplaudiram a chegada de Sócrates. O advogado de defesa João Araújo acompanhava o ex-líder do PS, mas não quis prestar declarações. Sócrates, que saiu sorridente do carro que o transportou desde a Prisão de Évora, não respondeu às perguntas dos jornalistas.

José Sócrates foi detido a 21 de novembro de 2014, no aeroporto de Lisboa e está indiciado por fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção passiva para ato ilícito, sendo o único dos nove arguidos das “Operação Marquês” em prisão preventiva.

O empresário Carlos Santos Silva, o administrador do grupo Lena Joaquim Barroca, o ex-motorista de Sócrates João Perna, o administrador da farmacêutica Octapharma Paulo Lalanda de Castro, a mulher de Carlos Santos Silva, Inês do Rosário, o advogado Gonçalo Trindade Ferreira, o presidente da empresa que gere o empreendimento de Vale do Lobo, Diogo Gaspar Ferreira e o ex-ministro Armando Vara são os outros arguidos no processo.

O advogado de José Sócrates considerou hoje "insuficiente" a alteração de prisão preventiva para prisão domiciliária da medida de coação imposta ao ex-primeiro-ministro e avançou à agência Lusa que vai recorrer da decisão.

"Esta decisão é insuficiente e será intentado recurso", referiu o advogado João Araújo. Questionado sobre o motivo que o leva a afirmar que a decisão do juiz Carlos Alexandre é "insuficiente", Araújo argumentou que José Sócrates "devia ser libertado pura e simplesmente, com ou sem pedido de desculpas".

O ex-primeiro-ministro, 58 anos, esteve em prisão preventiva 288 dias, desde 25 de novembro de 2014, foi hoje colocado em prisão domiciliária.


Notícias relacionadas

“Não há factos, não há provas, não há acusação”
Os advogados de José Sócrates consideraram hoje "patético" e "ridículo" o processo-crime contra o ex-primeiro-ministro e alegaram que estão consolidados "os indícios de que não há qualquer razão para suspeita" sobre o ex-líder do PS.
O advogado do ex-primeiro-ministro José Sócrates, João Araújo