Escolha as suas informações

Espanha volta atrás: fronteiras com Portugal abrem a 1 de julho e não a 22 de junho
Portugal 04.06.2020 Do nosso arquivo online

Espanha volta atrás: fronteiras com Portugal abrem a 1 de julho e não a 22 de junho

Espanha volta atrás: fronteiras com Portugal abrem a 1 de julho e não a 22 de junho

Foto: AFP
Portugal 04.06.2020 Do nosso arquivo online

Espanha volta atrás: fronteiras com Portugal abrem a 1 de julho e não a 22 de junho

A mudança de posição de Madrid surge depois de o Governo português ter pedido “esclarecimentos” e manifestado surpresa com declarações da ministra espanhola do Turismo que anunciou 22 de junho sem ter consultado Portugal. Quem decide sobre a reabertura da fronteira portuguesa "é naturalmente Portugal", anunciou Lisboa.

O Governo espanhol esclareceu que a abertura das fronteiras à “mobilidade internacional segura” terá lugar a partir de 1 de julho e não a 22 de junho, como tinha indicado a ministra do Turismo esta manhã, noticiou o Público.

A mudança de posição tem lugar depois de o Governo português ter pedido “esclarecimentos” e manifestado estar “surpreendido” com as declarações da ministra espanhola.

O ministro dos Negócios Estrangeiros português manifestou-se na manhã desta quinta-feira surpreendido com o anúncio por Espanha de uma reabertura da fronteira comum a 22 de junho e sublinhou que quem decide sobre a reabertura da fronteira portuguesa "é naturalmente Portugal".

"Fomos surpreendidos com estas declarações da ministra responsável pelo Turismo [de Espanha], que 'anuncia' a reabertura da fronteira entre Portugal e Espanha para o próximo dia 22 de junho", disse Augusto Santos Silva à Lusa, frisando que o anúncio "não se inscreve" no quadro de "cooperação estreita" entre os dois Governos para a gestão da fronteira comum.

"Quem decide sobre a abertura da fronteira portuguesa é naturalmente Portugal e Portugal quer fazê-lo em coordenação estreita com o único Estado com o qual tem uma fronteira terrestre, Espanha", acrescentou, precisando que já estão a ser pedidos "esclarecimentos ao Governo de Espanha".

Com Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas