Escolha as suas informações

Encontro em Lisboa: Empresários da diáspora portuguesa pedem mais comunicação
Portugal 2 min. 22.01.2015 Do nosso arquivo online

Encontro em Lisboa: Empresários da diáspora portuguesa pedem mais comunicação

As exportações portuguesas de bens e serviços representam cerca de 40% do PIB de Portugal

Encontro em Lisboa: Empresários da diáspora portuguesa pedem mais comunicação

As exportações portuguesas de bens e serviços representam cerca de 40% do PIB de Portugal
Foto: Marlene Soares
Portugal 2 min. 22.01.2015 Do nosso arquivo online

Encontro em Lisboa: Empresários da diáspora portuguesa pedem mais comunicação

Os empresários da diáspora enviaram hoje à AICEP 24 propostas para ajudar os empresários portugueses a vingarem no estrangeiro, destacando-se a necessidade de mais comunicação entre as autoridades nacionais e os empresários em Portugal e no estrangeiro.

Os empresários da diáspora enviaram hoje à AICEP 24 propostas para ajudar os empresários portugueses a vingarem no estrangeiro, destacando-se a necessidade de mais comunicação entre as autoridades nacionais e os empresários em Portugal e no estrangeiro.

As propostas foram apresentadas no âmbito do Encontro Empresarial da Diáspora Portuguesa, que hoje decorre em Lisboa, e na qual os participantes enviaram propostas à Agência para a Promoção e Investimento Externo de Portugal (AICEP), entre as quais se destacam, entre outras, a ideia de criar um centro de atendimento telefónico operado em Lisboa por jovens licenciados e a vontade de as câmaras de comércio serem informadas das viagens oficiais dos governantes quando visitam os países em que estas câmaras operam.

“As câmaras de comércio ainda não são avisadas das viagens ao estrangeiro dos membros de governo, e deviam ser, porque é quase uma questão de respeito pelas pessoas que representam o país, senão de forma oficial, pelo menos em termos de mérito e muito trabalho”, disse o presidente da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, Pedro Madeira Rodrigues.

Antes, já o secretário de Estado da Cooperação, José Cesário, tinha salientado a importância da diplomacia económica e da articulação entre os vários envolvidos, notando que uma das consequências da crise económica de 2009 e 2010 foi a criação de “empresários mais ousados, mais virados para trabalharem uns com os outros”, e acrescentando que “esta é uma mudança cultural que veio para ficar”.

Também na sessão de inauguração da reunião, o presidente da AICEP, Miguel Frasquilho, vincou a mudança no perfil das exportações, lembrando que “são já mais de 40 mil as empresas portuguesas que exportam os seus produtos e serviços para um número crescente de mercados”.

Desde 2012, disse o antigo governante, “que a balança externa portuguesa se tornou positiva, uma situação totalmente distinta da tendência das últimas décadas, e para a qual, para além da queda das importações, em muito contribuiu a subida das exportações”.

De acordo com os números apresentados por Miguel Frasquilho, “até outubro de 2014 as exportações portuguesas de bens e serviços representavam já cerca de 40% do PIB, uma subida de 12 pontos percentuais face ao que se verificava em 2008”.


Notícias relacionadas