Escolha as suas informações

Crise política. Conselho de Ministros extraordinário para avaliar situação
Portugal 25.10.2021
OE2022

Crise política. Conselho de Ministros extraordinário para avaliar situação

OE2022

Crise política. Conselho de Ministros extraordinário para avaliar situação

Foto: AFP
Portugal 25.10.2021
OE2022

Crise política. Conselho de Ministros extraordinário para avaliar situação

Lusa
Lusa
Os ministros reúnem-se para analisar o panorama político nacional, depois do anúncio do Partido Comunista Português e do Bloco de Esquerda que votarão contra o Orçamento do Estado para 2022.

O Conselho de Ministros vai reunir-se de forma extraordinária hoje à noite para avaliar a situação política, após Bloco de Esquerda e PCP terem comunicado o voto contra o Orçamento do Estado, na generalidade, na quarta-feira.

A reunião extraordinária do Governo foi confirmada pelo secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, em conferência de imprensa, na Assembleia da República.


Depois do BE, PCP vai votar contra OE português
Secretário-geral do partido Jerónimo de Sousa sustenta que o país "não precisa de um Orçamento qualquer". Marcelo aguarda até ao ao último segundo e se houver chumbo inicia logo dissolução do Governo.

Segundo Duarte Cordeiro, a reunião servirá para avaliar a situação em que o executivo minoritário socialista se encontra do ponto de vista político e a preparação do debate da proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2022”, que se inicia na terça-feira.

“Vamos fazer uma avaliação das posições que vamos assumir nos próximos dias, designadamente nos possíveis quadros que termos do ponto de vista de análise”, referiu.

  O voto contra dos dez deputados do PCP no Orçamento do Estado determina, desde já, o seu 'chumbo' na votação na generalidade, marcada para quarta-feira. O documento tem votos a favor dos 108 deputados do PS, mas 115 contra (a confirmar-se o do BE, que se junta a PSD, CDS-PP, Chega, IL e agora PCP), além de 5 abstenções (PAN e duas deputadas não inscritas).  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas