Escolha as suas informações

Covid. Aumento de casos exige “reforço de medidas individuais” em Portugal
Portugal 3 2 min. 21.05.2022
Sexta Vaga

Covid. Aumento de casos exige “reforço de medidas individuais” em Portugal

Sexta Vaga

Covid. Aumento de casos exige “reforço de medidas individuais” em Portugal

Portugal 3 2 min. 21.05.2022
Sexta Vaga

Covid. Aumento de casos exige “reforço de medidas individuais” em Portugal

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
A epidemia da covid mantém uma “incidência muito elevada, com tendência crescente”, em Portugal, alertam as autoridades. Graça Freitas aconselha o regresso da máscara nos locais fechados e com aglomerados.

Em Portugal, a curva da Covid-19 está a subir, com um aumento de casos de infeção, de internamentos e óbitos nos últimos sete dias. Os dados são revelados no último relatório sobre a situação epidemiológica da doença em Portugal assinado pela Direção-Geral da Saúde (DGS) e pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA).

“A epidemia de COVID-19 mantém uma incidência muito elevada, com tendência crescente”, indica o referido documento ontem divulgado. Perante a situação preocupante estes dois organismos recomendam “fortemente o reforço das medidas de proteção individual e a vacinação de reforço”.

O mesmo é dizer que os portugueses devem voltar a colocar a máscara especialmente nos locais de maior risco de propagação do vírus, para conter esta sexta vaga da pandemia no país.

Isso mesmo já tinha recomendado a Diretora Geral da Saúde, Graça Freitas numa entrevista ao jornal da TVI. Os portuguese devem voltar a usar máscara em “ambientes fechados e aglomerados”, aconselhou a responsável citada pelo Diário de Notícias.

As infeções por SARS-CoV-2, por 100 000 habitantes, acumulado nos últimos 7 dias foi de 1 529 casos, contabiliza o relatório e na base da subida da curva da epidemia no país podem estar vários fatores.

Nova Ómicron mais contagiosa

A redução da adesão às medidas de proteção individual, como o uso da máscara, o período de festividades e o “considerável aumento de circulação de variantes com maior potencial de transmissão” podem ter contribuído para o crescimento de infeções em Portugal.

No entender dos especialistas a nova linhagem da variante Ómicron, a BA.5 revela uma maior capacidade de transmissão do que a original, é responsável principal pela nova vaga.


A ministra da Saúde, Marta Temido.
Sexta vaga em Portugal. Ministra afasta para já máscara obrigatória e testes gratuitos
As projeções do INSA apontam para que no final de maio o país possa atingir os 60 mil casos diários.

Mais pessoas infetadas e mais internamentos, com tendência crescente nos cuidados intensivos. Na última semana 32,9% “do valor crítico definido das 255 camas ocupadas” com doentes covid. Na semana anterior a percentagem foi de 23,1%.

“O aumento da incidência pode continuar a contribuir para uma maior procura de cuidados de saúde e o aumento da mortalidade, em especial nos grupos mais vulneráveis”, lembra o relatório, apontando aqui também uma tendência crescente.

Portugal deve chegar aos 60 mil casos diários até ao final do mês, segundo as estimativas do INSA.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas