Escolha as suas informações

Covid-19. Todas as escolas portuguesas encerradas a partir de segunda-feira
Portugal 2 min. 12.03.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19. Todas as escolas portuguesas encerradas a partir de segunda-feira

Covid-19. Todas as escolas portuguesas encerradas a partir de segunda-feira

Foto:DR
Portugal 2 min. 12.03.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19. Todas as escolas portuguesas encerradas a partir de segunda-feira

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Discotecas e similares vão ser encerrados, restaurantes reduzidos a um terço e centros comerciais terão acessos restritos. Primeiro-ministro alerta que pico da pandemia ainda está por chegar.

O governo português decretou o encerramento de todas as escolas,  com efeito a partir da próxima segunda-feira, 16 de março. 

O executivo decidiu "a suspensão de todas as atividades letivas presenciais até ao período das ferias da Páscoa", sendo a medida reavaliada a 9 de abril, anunciou o primeiro-ministro, António Costa, esta noite.

Apesar de o Conselho Nacional de Saúde Pública ter recomendado ontem o encerramento caso a caso, professores, pais e médicos, entre outros setores, têm defendido o fecho total dos estabelecimentos de ensino para conter a propagação do novo coronavírus. 

O governo justificou a decisão de hoje com o que foi recomendado pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças para os estados-membros da União Europeia.

A medida, que abrange escolas públicas e privadas, foi decidida depois da reunião desta quinta-feira, entre o primeiro-ministro, António Costa, e os partidos com assento parlamentar, e ficará em vigor, pelo menos, até ao final deste mês e início de abril. Creches e ATL também vão ser encerrados. 

Para as famílias que tiverem de ficar com os filhos, o governo assegurará "remuneração parcial", ficando o restante a cargo da entidade patronal.

 Serão ainda criadas medidas para apoiar os trabalhadores a recibos verdes.  

Pandemia ainda não atingiu o pico em Portugal

António Costa alertou que a pandemia em Portugal ainda não atingiu o seu pico e que "é muito provável que nas próximas semanas" haja um agravamento do número de casos e da gravidade das situações, apelando a restrições de deslocações e convívio social.

O chefe de governo anunciou a necessidade de os reforços se concentrarem nos serviços de saúde, anunciando medidas, sem especificar, de apoio a profissionais de saúde e serviços de emergência.

Discotecas encerram e restaurantes ficam reduzidas a um terço

O governo decidiu também determinar o encerramento das discotecas e similares, reduzir em um terço a lotação máxima dos espaços de restauração e limitar a frequência de centros comerciais e serviços públicos.

 "Vamos determinar o encerramento das discotecas e estabelecimentos similares, reduzir em um terço a lotação máxima de cada estabelecimento de restauração de forma a aumentar o espaçamento entre os diferentes clientes, vamos determinar a limitação da frequência de centros comerciais ou de serviço público, de forma a que a sua frequência se adeque ao espaço de cada um sem que haja um excesso de pessoas simultaneamente dentro do mesmo espaço."

Entre as outras medidas anunciadas, está a proibição de desembarque de passageiros dos navios de cruzeiro, com exceção de residentes.

A limitação de visitas a lar de idosos será estendida a todo o país. "Tal como já foi determinado em relação à região norte, será estendida a todo o país a limitação de visitas a lares de idosos", anunciou ainda.  




Notícias relacionadas