Escolha as suas informações

Covid-19. Mais de 760 mil mortes em 21 milhões de casos em todo o mundo
Portugal 3 min. 15.08.2020

Covid-19. Mais de 760 mil mortes em 21 milhões de casos em todo o mundo

Covid-19. Mais de 760 mil mortes em 21 milhões de casos em todo o mundo

Ellan Lustosa/ZUMA Wire/dpa
Portugal 3 min. 15.08.2020

Covid-19. Mais de 760 mil mortes em 21 milhões de casos em todo o mundo

Lusa
Lusa
A Bélgica é o território onde se verifica o maior número de mortes em relação à sua população, 86 por 100 mil habitantes. EUA, Brasil e Índia são os países com maior registo de novos óbitos.

A pandemia de covid-19 já fez pelo menos 760.739 mortes em todo o mundo desde que foi comunicado o surto da doença, no final de dezembro, segundo o balanço de hoje da AFP a partir de fontes oficiais.

 Foram oficialmente relatados mais de 21.242.070 de casos de infeção, em 196 países e territórios, dos quais pelo menos 12.988.000 são agora considerados curados, segundo a agência de notícias francesa.

 O número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do número real de infeções, uma vez que alguns países testam apenas os casos graves, outros priorizam os testes para rastreio e muitos outros, sobretudo os países, pobres têm capacidade de teste limitada, adverte a AFP.

Na sexta-feira, foram notificados em todo o mundo 6.207 novas mortes e 287.155 novos casos.


Luxemburgo. Mais uma morte e 34 novas infeções por covid-19
Nas últimas 24 horas foram realizados 9.402 testes de despistagem entre a população do país. Mais três doentes foram internados.

 Os países que registaram o maior número de novas mortes, de acordo com os seus últimos relatórios, são os Estados Unidos (1.289), Brasil (1.060) e Índia (996), indica ainda a agência francesa.

Brasil com mais vítimas mortais  

 Segundo a AFP, os Estados Unidos são o país mais afetado, com 168.446 mortes em 5.314.021 casos diagnosticados desde o início da pandemia, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins. Pelo menos 1.796.326 pessoas foram declaradas curadas.

 Logo em seguida, registam maior número de vítimas o Brasil com 106.523 mortes para 3.275.520 casos, o México com 55.908 mortes (511.369 casos), a Índia com 49.036 mortes (2.526.192 casos) e o Reino Unido com 41.358 mortes (316.367 casos).

 Entre os países mais atingidos, a Bélgica é o território onde se verifica o maior número de mortes em relação à sua população, com 86 mortes por 100.000 habitantes, seguida do Peru (78), Espanha (61), Reino Unido (61) e Itália (58).

 A China, onde foi comunicado primeiramente o surto, (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) contabilizou oficialmente um total de 84.808 casos (22 novos entre sexta-feira e sábado), incluindo 4.634 mortes (0 novos) e 79.519 recuperações, informa ainda a AFP.


Covid-19. Infeção matou 25 pessoas numa semana em Portugal
Nas últimas 24 horas registaram-se mais três mortes e 198 casos de infeção. O país contabiliza agora 1.775 mortes e 53.981 casos de infeção desde o início da pandemia.

 A América Latina e as Caraíbas totalizaram 237.791 mortes por 6.024.075 casos, às 11:00 de hoje. A Europa contava com 209.826 mortes (3.483.014 casos), os Estados Unidos e Canadá 177.502 mortes (5.435.435 casos), a Ásia 78.347 mortes (3.868.649 casos) e o Médio Oriente 31.780 mortes (1.307.456 casos).

 Em África verificaram-se 25.081 mortes (1.098.312 casos) e na Oceânia 412 mortes (25.136 casos).

Balanço em Portugal

 O balanço da AFP foi feito com base em dados recolhidos pelas delegações da agência junto de autoridades de Saúde e em informações da Organização Mundial de Saúde.

 Devido a correções feitas pelas autoridades ou divulgação tardia de dados, os números do aumento de 24 horas podem não corresponder exatamente aos publicados no dia anterior.


Estabilização do número de novos casos não significa fim da "tempestade", diz a OMS
OMS defende que é preciso “muito, muito cuidado” e “vigilância absoluta”.

 O novo coronavírus, que provoca a doença covid-19, já provocou em Portugal 1.772 mortes entre as 53.783 infeções confirmadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

 A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas