Escolha as suas informações

Covid-19. Demitiu-se o diretor do serviço de cirurgia e transplantação do Curry Cabral
Portugal 2 min. 09.04.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19. Demitiu-se o diretor do serviço de cirurgia e transplantação do Curry Cabral

Covid-19. Demitiu-se o diretor do serviço de cirurgia e transplantação do Curry Cabral

Foto: Marijan Murat/dpa
Portugal 2 min. 09.04.2020 Do nosso arquivo online

Covid-19. Demitiu-se o diretor do serviço de cirurgia e transplantação do Curry Cabral

Lusa
Lusa
Têm sido várias as vozes a pedir que o hospital se mantenha como unidade de referência e tratamentos na área dos transplantes. O Curry Cabral é também um dos hospitais de primeira linha no combate à covid-19.

O diretor do Serviço de Cirurgia Geral e Transplantação do Hospital Curry Cabral, Américo Martins, demitiu-se esta quarta-feira,  por ter visto impedida a proposta de reorganização do serviço na unidade, disse hoje à Lusa fonte do hospital.

“O Conselho de Administração não aceitou a criação de dois circuitos independentes” no Curry Cabral para manter, como propunham os médicos, os serviços destinados aos doentes oncológicos e transplantados no Curry Cabral, adiantou a fonte.

Na semana passada, o Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central esclareceu que a transferência do transplante hepático do hospital Curry Cabral para Santa Marta decorre da necessidade de garantir aos doentes “a máxima segurança” durante a pandemia covid-19.

No entanto, têm sido várias as vozes a pedir que o hospital se mantenha como unidade de referência e tratamentos de ponta na área dos transplantes.

Ainda esta quarta-feira, 8 de abril, o Grupo de Transplantados do Hospital Curry Cabral (GTHCC) enviou um apelo ao Presidente da República e ao primeiro-ministro, entre outras entidades, pela manutenção dos serviços da unidade hospitalar de Lisboa reiterando que correm "risco de vida".

"Apelamos para que o Estado Português assegure aos doentes do grupo de risco, entre eles os oncológicos e os imunodeprimidos, como os transplantados, a continuação do acompanhamento e tratamento médico necessários à sua vida, e os Centros de Referências para a área da transplantação e tratamento oncológico do Hospital Curry Cabral, que são uma mais-valia do nosso Serviço Nacional de Saúde, parte integrante do seu património, sejam integralmente preservados e a sua atividade mantida, mesmo durante uma pandemia", refere o apelo do GTHCC.

O documento foi enviado  também para a ministra da Saúde, para a presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central, para a diretora da Direção-Geral da Saúde, para representantes dos grupos parlamentares, para a presidente da Direção da Sociedade Portuguesa de Transplantação e para o Bastonário da Ordem dos Médicos.  

Também o médico cirurgião Eduardo Barroso, que dirigiu o Centro Hepato-Bilio-Pancreático e de Transplantação (CHBPT) disse à Lusa que transformar o Hospital Curry Cabral, em Lisboa, é um erro trágico lamentando que os especialistas não tenham sido consultados.

"Esta oferta do Curry Cabral, em Lisboa, para ser um 'hospital covid', na minha opinião, é um erro trágico, porque é um hospital que tem uma oferta quase única", disse à Lusa Eduardo Barroso.

O médico, de 71 anos que atualmente se encontra na Fundação Champalimaud, recorda que o Hospital Curry Cabral tem também uma unidade de tratamento público de cancro do fígado, do pâncreas e das vias biliares, onde se fazem 90% de intervenções correspondentes ao centro e sul do país.   

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.