Escolha as suas informações

Covid-19. Costa admite novo confinamento em Portugal, mas com escolas abertas
Portugal 2 min. 07.01.2021

Covid-19. Costa admite novo confinamento em Portugal, mas com escolas abertas

Covid-19. Costa admite novo confinamento em Portugal, mas com escolas abertas

AFP
Portugal 2 min. 07.01.2021

Covid-19. Costa admite novo confinamento em Portugal, mas com escolas abertas

Redação
Redação
As infeções e mortes continuam a atingir valores nunca antes alcançados pelo que o primeiro-ministro admite voltar a adotar restrições como em Março. Este fim de semana continua o recolher obrigatório às 13h00.

O primeiro-ministro admitiu hoje que na próxima semana o Governo poderá tomar medidas mais restritivas para fazer face ao aumento de contágios e adiantou que vai proceder à audição dos partidos e dos parceiros sociais, para sexta-feira e fim-de-semana.

António Costa falava no final do Conselho de Ministros, em conferência de imprensa, salientando que essas medidas mais restritivas contra a covid-19 poderão já entrar em vigor no próximo dia 12.

"O cenário que podemos ter como provável é voltarmos a um conjunto de medidas tipo aquelas que adotámos em março", declarou o primeiro-ministro anunciando que vai esperar até à próxima terça-feira para uma avaliação da pandemia e então decidir o que fazer.

Mas desta vez, os alunos devem continuar a ir às aulas, não se adotando o ensino à distância.  "Há um grande consenso entre os técnicos e os especialistas de que não se justifica afetar o funcionamento do ano letivo. Não devemos ter medidas que impliquem, como adotámos no ano letivo passado, a interrupção da atividade letiva", acrescentou António Costa citado pelo Diário de Notícias. 

O chefe de estado admitiu que as medidas em vigor atualmente parecem "não ter sido suficientes" e se as previsões se confirmarem Portugal poderá voltar a um "confinamento mais geral". 


Portugal com mais 95 mortes por covid-19 e 9.927 novos casos
Pelo segundo dia consecutivo, o país volta a registar perto de 10 mil casos, os valores diários mais altos desde que a pandemia começou.

"Há um grande consenso entre os técnicos e os especialistas de que não se justifica afetar o funcionamento do ano letivo. Não devemos ter medidas que impliquem, como adotámos no ano letivo passado, a interrupção da atividade letiva". 

O líder do executivo referiu que os números referentes novos contágios verificados na quarta-feira e hoje rondam os dez mil, "o que indicia um agravamento da situação epidemiológica" no país.

Números a subir

Nesta quinta-feira os números voltaram a subir. Portugal registou, nas últimas 24 horas, mais 95 mortes por covid-19 e 9.927 novos infetados, o segundo número mais alto de casos diários contabilizado desde o início da pandemia. 

Perante a situação as restrições dos últimos fins de semana irão manter-se.

A maioria dos concelhos do continente português, com exceção de 25, vai ter no próximo fim de semana proibição de circulação entre municípios e recolher obrigatório entre as 13h00 e as 05h00, nos concelhos com mais de 240 novos casos de covid-19 por 100 mil habitantes.


Hospitais portugueses à beira da rutura com aumento de casos
Portugal bateu ontem o recorde diário de infeções com 10.027 casos positivos de covid-19. Vários hospitais do país já estão com a capacidade esgotada e temem que novos aumentos compliquem o cenário de sobrecarga sentido um pouco por todo o país.

“Só não se aplicam em 25 concelhos, em que o número de novos casos é inferior a 240”, revelou António Costa.

  Na quinta-feira, o Presidente da República decretou a renovação do estado de emergência por mais oito dias, até 15 de janeiro, para permitir medidas de contenção da covid-19.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas