Escolha as suas informações

Costa diz que variante Omicron não aparenta ser mais "danosa", mas pede "máxima cautela"
Portugal 01.12.2021
Covid-19

Costa diz que variante Omicron não aparenta ser mais "danosa", mas pede "máxima cautela"

O primeiro-ministro de Portugal salienta que é “importante” saber-se mais sobre a nova variante.
Covid-19

Costa diz que variante Omicron não aparenta ser mais "danosa", mas pede "máxima cautela"

O primeiro-ministro de Portugal salienta que é “importante” saber-se mais sobre a nova variante.
Foto: Lusa
Portugal 01.12.2021
Covid-19

Costa diz que variante Omicron não aparenta ser mais "danosa", mas pede "máxima cautela"

Lusa
Lusa
O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, afirmou esta quarta-feira que a variante Omicron do coronavírus SARS-CoV-2 aparenta ser "mais transmissível, mas não necessariamente mais danosa para a saúde", apelando a que, até que surja mais informação, se tenha o "máximo de cautela possível".

Falando aos jornalistas pouco depois de participar na cerimónia de comemoração do 1.º de Dezembro, que decorreu esta quarta-feira na Praça dos Restauradores, em Lisboa, António Costa salientou que, das informações que o Governo tem recebido tanto das “autoridades sul-africanas” como “dos contactos com médicos portugueses que trabalham na África do Sul”, a variante Omicron terá “um maior índice de transmissibilidade”, mas não tem uma “sintomatologia muito diferente das variantes anteriores”.


O conselheiro de Saúde da Casa Branca, Anthony Fauci, voltou a recomendar aos norte-americanos que se vacinem ou recebam uma dose de reforço.
Obter dados sobre a variante Omicron vai demorar semanas, diz task force dos EUA
Obter informações como a capacidade de transmissão e agressividade da nova variante da covid-19 poderá demorar entre duas a quatro semanas.

“As informações que têm sido recolhidas indicam uma coisa: primeiro, esta variante tem um maior índice de transmissibilidade, ou seja, é mais perigosa na transmissão, (…) [mas] não aparenta desenvolver uma sintomatologia muito diferente das variantes anteriores, ou seja, é mais transmissível mas não é necessariamente mais danosa para a saúde”, afirmou.

No entanto, o chefe do executivo salientou que é “importante” saber-se mais sobre a nova variante e frisou que, até que haja mais informação, é necessário “o máximo de cautela possível”.

“É preciso termos cautela porque ainda sabemos pouco, foi detetada há pouco tempo, portanto temos que ir aguardando a informação que as autoridades científicas vão produzindo. (…) É evidente que não nos podemos descuidar”, salientou.


OMS diz que risco global da Omicron é "muito alto"
"Pode haver novas ondas de covid-19 com consequências graves", diz a Organização Mundial de Saúde (OMS).

A nova variante do coronavírus SARS-CoV-2 (que provoca a covid-19), a Omicron, foi recentemente detetada na África do Sul, tendo sido identificados, até ao momento, 13 casos desta nova estirpe em Portugal.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.441 pessoas e foram contabilizados 1.147.249 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Propaga-se a um ritmo alucinante e só as duas doses da vacina não chegam para uma proteção eficaz. O que se sabe até agora sobre a nova estirpe da covid-19 que está a cancelar as festas natalícias pelo mundo.