Escolha as suas informações

Coronavírus. Portugueses em "isolamento voluntário" e "sem visitas"
Portugal 03.02.2020

Coronavírus. Portugueses em "isolamento voluntário" e "sem visitas"

Coronavírus. Portugueses em "isolamento voluntário" e "sem visitas"

AFP
Portugal 03.02.2020

Coronavírus. Portugueses em "isolamento voluntário" e "sem visitas"

Os 18 portugueses e as duas brasileiras foram transportados para o Hospital Pulido Valente voluntariamente um vez que, ao contrário do que acontece noutros países, a lei portuguesa só exige isolamento em caso de doençamental.

O momento foi acompanhado em direto nas televisões. Pouco depois das 20h30, os 18 portugueses e as duas brasileiras, retirados do berço do vírus na China, aterravam no aeroporto militar Figo Maduro, em Lisboa, vindo de Marselha. 

Com máscaras e fatos de proteção, os 20 desembarcaram diretamente para as seis ambulâncias estacionadas na pista para serem transportados para o Pulido Valente, o hospital especializado em doenças infeciosas onde aceitaram ficar em "isolamento voluntário", sem direito a visitas, nos próximos 14 dias, de resto, o período de incubação do vírus. 

"À partida não estão doentes", garantia a ministra da Saúde, Marta Temido, à imprensa. Ainda assim, por motivos de segurança, aceitaram  por unanimidade ficar aos cuidados da equipa médica da Sanidade Internacional que é coordenada pela Direcção-Geral da Saúde. A decisão só é notícia porque, em Portugal, ao contrário do que acontece na Alemanha, Espanha, França e Reino Unido, a lei só permite internamentos obrigatórios em caso de doença mental. 

Mais exames

Ainda na China, os portugueses foram sujeitos a exames de diagnóstisco que afastaram a hipótese de contaminação pelo vírus que a Organização Mundial de Saúde passou a "perigo mundial" na quinta-feira. Por esta hora, as colheitas de material biológico já devem ter sido repetidas em Lisboa para serem analisadas pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge. 

No caso remoto de algum dos repatriados estar infetado, deverá ser transferido de imediato para o hospital Curry Cabral, equipado com quartos de pressão negativa com sistemas de ventilação que não permitem a circulação do ar. Estes quartos também estão disponíveis no S. João no Porto, reservado única e exclusivamente a crianças. 

Diariamente, a Direção-Geral da Saúde atualizará um boletim clínico do grupo. A divulgação fica a cargo do Ministério da Saúde. 





Notícias relacionadas