Escolha as suas informações

Centenas de pessoas protestam em Lisboa contra racismo e violência policial
Portugal 01.02.2020

Centenas de pessoas protestam em Lisboa contra racismo e violência policial

Centenas de pessoas protestam em Lisboa contra racismo e violência policial

Foto: LUSA
Portugal 01.02.2020

Centenas de pessoas protestam em Lisboa contra racismo e violência policial

Na manifestação esteve a mãe de Cláudia Simões, que acusou um agente da PSP de a ter agredido brutalmente.

Mais de 500 pessoas manifestaram-se esta tarde, em Lisboa, contra o racismo e a violência policial. 

Segundo o Diário de Notícias, o protesto foi convocado na sequência do caso de Cláudia Simões, de origem angolana e residente na Amadora, que acusa um agente da PSP de a ter agredido, depois deste ter sido chamado pelo motorista de um autocarro onde a mulher seguia com a filha, que não levava o passe consigo.

Cláudia Simões, cuja história o Contacto contou, foi acusada de ter agredido o agente, que exibiu marcas de mordidas que esta lhe terá deixado e foi constituída arguida. Mas, nas redes sociais, foram divulgadas imagens do rosto socado da mulher, alegadamente após o ato detenção e atribuídos, por si, ao agente da PSP que a deteve. Este não foi constituído arguido, mas o governo pediu a abertura de inquérito sobre caso na PSP da Amadora.

O protesto de hoje, convocado por movimentos antirracistas e antifascistas, contou com a presença da mãe de Cláudia Simões, que levou uma faixa a exigir justiça para o caso da filha.

Foto: LUSA

“O regime tem de mudar. A minha filha não é um animal. Ela nem sequer consegue sair de casa. Só quero que se faça justiça”, afirmou à Lusa, de forma emocionada, Maria Simões.

Além de Cláudia Simões, os participantes neste protesto evocaram o nome de Giovanni Rodrigues, jovem cabo-verdiano que perdeu a vida em Bragança, em dezembro do ano passado, e de Alcindo Monteiro, assassinado em 1995 em Lisboa por um grupo de extrema direita.

Na manifestação, acrescenta o DN, estiveram também as deputadas Beatriz Dias, do Bloco de Esquerda, e Joanice Katar Moreira, eleita pelo Livre mas a quem o partido retirou esta semana a confiança política e a ex-deputada do PCP, Rita Rato, que esteve no protesto, a título individual.

 A manifestação terminou no Largo de São Domingos, na zona do Rossio, com intervenções de vários ativistas antirracistas, não se tendo verificado quaisquer incidentes .



Notícias relacionadas