Escolha as suas informações

Cascais quer geminar-se com Bucha e Irpin e apoiar na reconstrução
Portugal 2 min. 09.05.2022
Guerra na Ucrânia

Cascais quer geminar-se com Bucha e Irpin e apoiar na reconstrução

Kiev acusa as forças russas de terem cometido massacres em Bucha, depois de anunciar ter encontrado dezenas de corpos com roupas de civis após estas terem abandonado a cidade.
Guerra na Ucrânia

Cascais quer geminar-se com Bucha e Irpin e apoiar na reconstrução

Kiev acusa as forças russas de terem cometido massacres em Bucha, depois de anunciar ter encontrado dezenas de corpos com roupas de civis após estas terem abandonado a cidade.
Foto: AFP
Portugal 2 min. 09.05.2022
Guerra na Ucrânia

Cascais quer geminar-se com Bucha e Irpin e apoiar na reconstrução

Lusa
Lusa
O autarca Carlos Carreiras referiu que o município já enviou 14 camiões de ajuda humanitária para a Ucrânia, sendo que metade teve como destino as cidades de Bucha e Irpin.

A Câmara Municipal de Cascais, no distrito de Lisboa, vai votar na terça-feira uma proposta de geminação com as cidades ucranianas de Bucha e Irpin, manifestando também disponibilidade para apoiar o processo de reconstrução.

A proposta, que foi subscrita por todos os partidos representados no executivo municipal de Cascais, pretende manifestar solidariedade e apoio da autarquia a duas das cidades da Ucrânia mais afetadas pela invasão da Rússia àquele país.

“Estamos a falar no presidente mais os 10 vereadores, o que dá um sinal de que há aqui uma grande unanimidade de toda a Câmara neste apoio solidário ao que se está a passar na guerra da Ucrânia”, afirmou à agência Lusa o presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras (PSD).

O autarca explicou que as relações com as duas cidades ucranianas, localizadas na região administrativa de Kiev, se estreitaram após o envio por parte do município de Cascais de ajuda humanitária para a Ucrânia.

“Logo no princípio conseguimos fazer chegar um camião de bens a Bucha e a partir daí começou a estabelecer-se uma relação com Bucha, que foi aumentando e que foi também extravasando para a cidade de Irpin, ali perto. Nesse sentido, temos vindo a dar apoio humanitário quer a Bucha, quer a Irpin”, justificou.

Carlos Carreiras referiu ainda que o município de Cascais já enviou 14 camiões de ajuda humanitária para a Ucrânia, sendo que metade teve como destino as cidades de Bucha e Irpin.

“Fomos convidados para fazer reuniões com a Câmara Municipal de Irpin, já de ordem técnica, no sentido de estabelecermos formas de podermos colaborar naquilo que será a própria reconstrução da cidade. No fundo, o que amanhã [terça-feira] vai ser votado é, no fundo, esses protocolos de colaboração de geminação”, apontou.

 Kiev acusa forças russas de terem cometido massacres em Irpin e Bucha  

Segundo Carlos Carreiras, o objetivo será pensar já na reconstrução das duas cidades, projetada “numa lógica de futuro e de sustentabilidade ambiental”.

Entretanto, o autarca de Cascais já enviou uma missiva aos responsáveis políticos das duas cidades ucranianas manifestando a sua solidariedade e disponibilidade de apoio, assim como o desejo de as visitar “logo que possível”.

“Tão logo que seja possível e que não atrapalhe, ir lá para atrapalhar é tudo o que não é necessário. Mas, manifestei aos dois presidentes de Câmara que faria questão de me deslocar lá, até para darmos início a essa reconstrução”, sublinhou.

O executivo de Cascais é composto por sete eleitos (incluindo o presidente) da coligação “Viva Cascais” (PSD/CDS-PP), três da coligação “Todos por Cascais” (PS/PAN/Livre) e um do Chega.

Irpin, na periferia de Kiev, foi palco de fortes combates entre russos e ucranianos nos primeiros dias da invasão da Rússia, no final de fevereiro.

As forças russas tomaram rapidamente o controlo da cidade – com cerca de 60.000 habitantes antes da guerra – e ocupou-a durante todo o mês de março.

Kiev acusa as forças russas de terem cometido massacres em Irpin – assim como na vizinha Bucha –, depois de anunciar ter encontrado dezenas de corpos com roupas de civis após estas terem abandonado a cidade.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O presidente da câmara de Kiev anunciou hoje que as autoridades estão a armazenar medicamentos, produtos e bens de primeira necessidade, antevendo uma possível invasão por parte das tropas russas, que já bombardeiam os arredores.