Escolha as suas informações

Carlos Moedas. O candidato de Jean-Claude Juncker que conquistou Lisboa “contra tudo e contra todos”
Portugal 3 1 3 min. 27.09.2021
Autárquicas

Carlos Moedas. O candidato de Jean-Claude Juncker que conquistou Lisboa “contra tudo e contra todos”

Carlos Moedas
Autárquicas

Carlos Moedas. O candidato de Jean-Claude Juncker que conquistou Lisboa “contra tudo e contra todos”

Carlos Moedas
Foto: Facebook Oficial de Carlos Moedas
Portugal 3 1 3 min. 27.09.2021
Autárquicas

Carlos Moedas. O candidato de Jean-Claude Juncker que conquistou Lisboa “contra tudo e contra todos”

O candidato do PSD, Carlos Moedas, venceu ontem a Câmara Municipal de Lisboa, derrotando 14 anos de governação do PS na capital portuguesa.

A vitória de Carlos Moedas em Lisboa foi a maior surpresa das eleições autárquicas portuguesas, que se realizaram este domingo. 

O cabeça de lista da coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança à Câmara Municipal da capital do país derrotou Fernando Medina, o candidato socialista, da coligação PS/Livre, contrariando as projeções das sondagens pré-eleitorais que davam como certa a reeleição de Medina.

No discurso de agradecimento aos lisboetas que votaram em si, Carlos Moedas, afirmou ter vencido “contra tudo e contra todos”, porque “a democracia não tem dono” e anunciou um novo rumo para a capital.

“Obrigado, Lisboa. Que orgulho, ganhámos contra tudo e contra todos”, começou por dizer o social-democrata, pelas 02h30, hora a que chegou à sala do hotel EPIC SANA Marquês de Pombal, local escolhido para acompanhamento da noite eleitoral.

“Fizemos história, fez-se história hoje em Lisboa”, reforçou o ex-comissário europeu, a quem Jean-Claude Juncker prestou apoio durante a campanha.

O antigo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker (D), acompanhado pelo seu então Comissário para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas (E), momentos antes do discurso do Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, no Parlamento Europeu em Estrasburgo, França, 13 de abril de 2016.
O antigo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker (D), acompanhado pelo seu então Comissário para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas (E), momentos antes do discurso do Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, no Parlamento Europeu em Estrasburgo, França, 13 de abril de 2016.
Foto: LUSA

Num vídeo oficial, o político luxemburguês e antigo Presidente da Comissão Europeia, de cuja equipa Moedas fez parte, não se poupou nos elogios ao agora eleito presidente da capital portuguesa.


Social-democrata Carlos Moedas 'conquistou' Lisboa ao PS
O PSD volta assim a liderar a Câmara Municipal de Lisboa, com Carlos Moedas a considerar que venceu “contra tudo e contra todos”.

"O meu amigo Carlos Moedas é candidato à Câmara Municipal de Lisboa, a minha cidade preferida na Europa, porque é a capital europeia mais bonita", afirmava Jean-Claude Juncker no vídeo, onde sublinhava as qualidades do antigo comissário europeu: "jovem, inteligente, brilhante e que acumula numerosos talentos", que "ama e respeita" a sua cidade, e, por isso, a "escutará". 

"É um homem cheio de ideias (...) É um homem moderno, que vive no seu tempo. Carlos é um europeu e um patriota português no estrangeiro. Em Bruxelas, defendeu sempre a honra de Portugal e a dignidade dos portugueses de quem gosto muito", afirmou o político luxemburguês, concluindo que, por isso, seria "o homem ideal para ocupar o lugar de Presidente da Câmara Municipal de Lisboa".   

Esta madrugada, Carlos Moedas fez um primeiro compromisso perante os lisboetas, a quem agradeceu o “voto de confiança”, o de  “mudar Lisboa”, garantindo que será o presidente de todos.

“Comprometo-me, lisboetas, não vamos falhar. Comprometo-me com todos os lisboetas, é isso que vamos fazer, vamos mudar Lisboa, acreditem”, reforçou o social-democrata, defendendo que a sua campanha “é a prova que se pode mudar o sistema”, após 14 anos de governação socialista, “porque a democracia não tem dono”, assinalando que, com esta eleição, se inicia “um novo ciclo, novos tempos".

O social-democrata disse ainda ter a convicção de que “este novo ciclo começa em Lisboa, mas não vai acabar em Lisboa”.


Medina assume derrota em Lisboa e felicita Moedas
“Carlos Moedas ganhou e merece as felicitações”, disse Fernando Medina.

No discurso de vitória de Carlos Moedas estiveram presentes o presidente do PSD, Rui Rio, o líder do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, e o presidente do PPM, Gonçalo da Câmara Pereira, três dos cinco partidos que formaram a coligação “Novos Tempos”, pela qual se candidatou.

Apesar da vitória, a coligação de direita ganhou a autarquia por uma margem mínima, com 34,25% contra os 33,30% da coligação liderada por Fernando Medina, o que na prática significa a eleição do mesmo número de vereadores -sete para cada uma - e uma diferença de 2.299 votos a favor de Carlos Moedas.  

Nestas eleições à presidência da Câmara de Lisboa concorreram Fernando Medina (coligação PS/Livre), Carlos Moedas (coligação PSD/CDS-PP/PPM/MPT/Aliança), Beatriz Gomes Dias (BE), Bruno Horta Soares (IL), João Ferreira (CDU - coligação PCP/PEV), Nuno Graciano (Chega), Manuela Gonzaga (PAN), Tiago Matos Gomes (Volt), João Patrocínio (Ergue-te), Bruno Fialho (PDR), Sofia Afonso Ferreira (Nós, Cidadãos!) e Ossanda Liber (movimento Somos Todos Lisboa).

com Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Carlos Moedas pode obter uma votação superior a 31%. Um resultado que não chega para ganhar, porque os socialistas obtiveram 42%.
Pormenor da ponte 25 de Abril em Lisboa.