Escolha as suas informações

Morreu Otelo Saraiva de Carvalho, militar e estratego do 25 de Abril
Portugal 25.07.2021
Óbito

Morreu Otelo Saraiva de Carvalho, militar e estratego do 25 de Abril

Óbito

Morreu Otelo Saraiva de Carvalho, militar e estratego do 25 de Abril

Foto: LUSA
Portugal 25.07.2021
Óbito

Morreu Otelo Saraiva de Carvalho, militar e estratego do 25 de Abril

Lusa
Lusa
O militar de Abril tinha 84 anos.

Otelo Saraiva de Carvalho, militar e estratego do 25 de Abril de 1974, morreu hoje de madrugada aos 84 anos, no hospital militar, disse à Lusa Vasco Lourenço, presidente da Associação 25 de Abril.

Otelo Nuno Romão Saraiva de Carvalho nasceu em Lourenço Marques – actual Maputo, Moçambique - a 31 de Agosto de 1936. Foi capitão em Angola de 1961 a 1963 e também na Guiné entre 1970 e 1973, sendo um dos principais dinamizadores do movimento de contestação ao Decreto Lei nº 353/73, que deu origem ao Movimento dos Capitães e ao MFA.

Era o responsável pelo sector operacional da Comissão Coordenadora do MFA e foi ele quem dirigiu as operações do 25 de Abril, a partir do posto de comando clandestino instalado no Quartel da Pontinha.

Graduado em brigadeiro, foi nomeado Comandante-adjunto do COPCON e Comandante da região militar de Lisboa a 13 de Julho de 1974, tendo passado a ser Comandante do COPCON a 23 de Junho de 1975. Foi afastado destes cargos após os acontecimentos de 25 de Novembro de 1975.

Fez parte do Conselho da Revolução desde que este foi criado, a 14 de Março de 1975, até Dezembro de 1975. A partir de 30 de Julho do mesmo ano integra, com Costa Gomes e Vasco Gonçalves, o Directório, estrutura política de cúpula durante o V Governos Provisório na qual os restantes membros do Conselho da Revolução delegaram temporariamente os seus poderes.

Conotado com a ala mais radical do MFA, viria a ser preso em consequência dos acontecimentos do 25 de Novembro. Solto três meses mais tarde, foi candidato às eleições presidenciais de 1976.

Nos anos 80, participou da luta armada em prol da revolução proletária como membro da organização Forças Populares 25 de abril, tendo sido condenado a 15 anos de prisão por associação terrorista em 1986. Em 1991, Otelo recebeu indulto pelos seus crimes, que foram amnistiados em 2004.

Perfil publicado inicialmente no Diário de Notícias

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas