Escolha as suas informações

Apenas 15,5% da população em Portugal tem anticorpos contra a covid-19
Portugal 2 min. 26.04.2021

Apenas 15,5% da população em Portugal tem anticorpos contra a covid-19

Centro Comercial Colombo, Lisboa

Apenas 15,5% da população em Portugal tem anticorpos contra a covid-19

Centro Comercial Colombo, Lisboa
Foto: AFP
Portugal 2 min. 26.04.2021

Apenas 15,5% da população em Portugal tem anticorpos contra a covid-19

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Resultados da segunda fase do inquérito serológico, mostram que até finais de março pouco menos de um quinto da população tinha anticorpos contra a covid-19, maioritariamente adquiridos através da infeção com o vírus.

A percentagem de população em Portugal com anticorpos contra a covid-19 é de 15,5%. Estes são os dados conhecidos mais recentes e foram divulgados esta segunda-feira, 26 de abril.

As dados correspondem às conclusões dos resultados preliminares da segunda fase do Inquérito Serológico Nacional, coordenado pelo Instituto Ricardo Jorge. De acordo com o estudo, a prevalência de anticorpos específicos contra o vírus que provoca a covid-19, entre a população residente no país, com idades entre 1 e 80 anos, foi de 15,5%, tendo 13,5% sido conferida através da infeção com o vírus.


Estudo. Contágio não garante a jovens completa imunidade contra reinfeção de covid-19
Algumas pessoas reinfetadas podem transmitir o vírus.

Norte, Lisboa e Vale do Tejo, Centro e Alentejo foram as regiões do país onde se observou uma maior prevalência de anticorpos na população.  

Esta segunda fase do estudo analisou uma amostra de 8.463 pessoas residentes em Portugal, recrutadas entre 2 de fevereiro e 31 de março de 2021, pelo que os efeitos da vacina ainda não são expressivos nos resultados.

Um reflexo espelhado também nas idades. A distribuição etária confirma a seroprevalência adquirida através do contacto natural (infeção) com o vírus, sendo mais elevada na população adulta em idade ativa e mais baixa no grupo entre os 70 e os 79 anos. 

Os resultados preliminares da segunda fase do estudo do Instituto Ricardo Jorge revelam ainda que a presença de anticorpos estimada para os grupos etários abaixo dos 20 anos não é inferior à da população adulta.

Anticorpos nos vacinados chegam quase aos 100% com a segunda dose

Apesar da seroprevalência ter sido maioritariamente adquirida por via de infeção com o vírus, entre o grupo dos vacinados "a proporção de pessoas com anticorpos específicos contra SARS-CoV-2 foi de 74,9%", sinaliza o comunicado do Instituto.

Esse valor sobe para perto de 100% quando analisadas as pessoas que tomaram duas doses, até pelo menos sete dias antes da realização do inquérito serológico. Nesse subgrupo, a percentagem com anticorpos é de 98,5% quando consideradas apenas as pessoas vacinadas com duas doses há pelo menos 7 dias. 


Infecciologista. "Os vacinados podem ser infetados, mas não ficam doentes"
O infecciologista Jorge Atouguia explica as infeções após a vacinação e porque é necessário continuar a usar máscara mesmo depois de receber a vacina.

Embora ressalve que estas conclusões devem ser interpretadas com cautela, dado a representação de poucas pessoas vacinadas no estudo, o Instituto Ricardo Jorge considera que "os dados corroboram o efeito esperado de aumento da imunidade populacional contra SARS-CoV-2 à medida que o programa de vacinação for sendo implementado".

Recorde-se que a primeira fase do estudo serológico foi realizada entre maio e julho de 2020 e que estimou uma prevalência global de 2,9% de infeção pelo vírus, na população residente em Portugal, não tendo sido encontradas, na altura, diferenças significativas entre regiões ou grupos etários. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas