Escolha as suas informações

Agência S&P sobe para "positiva" perspetiva da notação da dívida pública nacional

Agência S&P sobe para "positiva" perspetiva da notação da dívida pública nacional

Portugal 15.09.2018

Agência S&P sobe para "positiva" perspetiva da notação da dívida pública nacional

A Standard & Poor’s subiu de “estável” para “positiva” a perspetiva do 'rating' (notação) da dívida pública portuguesa e manteve a nota em BBB-, anunciou a agência em comunicado.


“Esperamos que a economia portuguesa cresça perto de 2% por ano até 2021, com o défice orçamental a melhorar até 0,4% do Produto Interno Bruto [PIB] em 2020, de 0,7% este ano”, afirma a agência S&P.

Aquela perspetiva positiva reflete a possibilidade de uma melhoria na nota atribuída à capacidade de crédito do país.

Segundo o texto da agência de ‘rating’, esta melhoria vai ser aferida pelo desendividamento público e privado, bem como pela melhoria na estabilidade financeira.

“Podemos melhorar o nosso ‘rating’ de Portugal se a economia continuar o desalavancar (desendividar-se) externo ao ritmo atual de (equivalente a) 3%-5% do Produto Interno Bruto”, detalhou o texto.

Este processo “iria reduzir o ‘stock’ ainda elevado do endividamento externo do país”, especificou.

Outra condição para a S&P considerar melhorar a nota portuguesa seria a “convergência das condições de crédito em Portugal com a média da zona euro, o que melhoraria a transmissão da política monetária do Banco Central Europeu”.

Em particular, a S&P destacou a importância que dá aos custos de financiamento e os ainda elevados níveis de crédito malparado no sistema bancário.

Ao contrário, a agência de ‘rating’ avisou que pode repor a perspetiva, agora melhorada para positiva, em estável, se se assistir “a um acentuado enfraquecimento no crescimento económico ou a uma falta de progresso na realização de reformas estruturais promotoras do crescimento da economia”.

Outras ameaças mencionadas pela S&P à atual melhoria da perspetiva situam-se na eventual deterioração do saldo orçamental, ao contrário do que está à espera, ou na inversão do ajustamento externo em curso.