Escolha as suas informações

Acampada em frente à Assembleia da República abre semana pelo clima
Portugal 19.09.2019

Acampada em frente à Assembleia da República abre semana pelo clima

Acampada em frente à Assembleia da República abre semana pelo clima

Foto: LUSA
Portugal 19.09.2019

Acampada em frente à Assembleia da República abre semana pelo clima

Bruno AMARAL DE CARVALHO
Bruno AMARAL DE CARVALHO
Marcha noturna rumo à Assembleia da República, em Lisboa, vai marcar, sexta-feira, primeiro dia da semana global pelo clima. Participantes vão acampar em frente ao parlamento.

Esta sexta-feira, começa o primeiro dos oito dias de mobilização global pelo clima. Ao contrário da maioria dos países, as organizações portuguesas decidiram concentrar a greve estudantil e a greve climática global no mesmo dia. Ou seja, no dia 27 de setembro, estudantes e restante população vão manifestar-se em conjunto numa marcha que, em Lisboa, vai ter partida às 15 horas no Cais do Sodré mas que se vai multiplicar por todo o país. Diogo Silva, ativista do movimento 2Degrees, explicou ao Contacto que o objetivo de juntar as duas iniciativas de protesto foi o de conseguir trazer mais gente.

Para já, a semana começa, amanhã, em Lisboa, com uma vigília organizada pela Greve Climática Estudantil pela cidade. De acordo com a estudante Alice Vale de Gato, a iniciativa vai começar às 20 horas no Príncipe Real com um piquenique e conversa sobre as “diferentes ações marcadas e os propósitos da luta”. Depois, os participantes vão descer rumo à Assembleia da República numa marcha noturna com lanternas onde os estudantes vão pernoitar com uma acampada em frente à sede do poder legislativo. 

Também amanhã, tem início o cineclima, um ciclo de cinema com mais de 40 sessões por todo o país com a projeção de filmes e documentários sobre a problemática ambiental. Diogo Silva sublinhou ainda que vai haver um conjunto de debates e que muitas autarquias se associaram às iniciativas com programação própria. 

João Reis, do Extinction Rebellion, revelou ainda que vão repetir, com o elemento surpresa, “várias ações de desobediência civil” sem que se saiba nem onde nem quando se vão realizar. À margem da greve climática de 27 de setembro vai realizar-se, no mesmo dia, uma outra ação “enorme” de desobediência civil numa via pública em Lisboa cujo local será anunciado na próxima terça-feira.

O ativista defendeu que “a nossa casa está a arder”, numa referência à crise climática e ambiental, e que as pessoas têm de “acordar” para inverter o rumo “do descontrolo atual”.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.