Escolha as suas informações

A surpresa Santana Lopes: "O resto é a vida. Cair e levantar"
Portugal 2 min. 27.09.2021
Câmara da Figueira da Foz

A surpresa Santana Lopes: "O resto é a vida. Cair e levantar"

Câmara da Figueira da Foz

A surpresa Santana Lopes: "O resto é a vida. Cair e levantar"

LUSA
Portugal 2 min. 27.09.2021
Câmara da Figueira da Foz

A surpresa Santana Lopes: "O resto é a vida. Cair e levantar"

Paula SANTOS FERREIRA
Paula SANTOS FERREIRA
Vinte anos depois, o político volta à Câmara da Figueira da Foz, com 40% dos votos, segundo as sondagens. Uma "vitória extraordinária", diz Santana Lopes lembrando a fé em Deus e Mary Poppins.

Santana Lopes é a outra surpresa da noite das autárquicas. O agora candidato independente ganha a câmara da Figueira da Foz com 40% dos votos, indicam as sondagens à boca das urnas, derrotando o rival o candidato socialista e atual presidente da câmara Carlos Monteiro. 

Mal saíram os resultados Santana Lopes desceu à sala onde se encontram os seus apoiantes da Figueira da Foz. Foi largamente aplaudido. Aos jornalistas vincou que ainda não eram horas do discurso e que foi apenas ali dar um abraço "às senhoras e senhores que aqui estão há horas". 

Para Santana Lopes esta é uma "vitória extraordinária",  "superextraordinária", tentando soletrar de seguida  "supercalifragilisticexpialidocious", "como dizia o filme, acho que era da Mary Poppins", declarou no meio de apoiantes que tentavam chegar a ele.

O político quis desde logo agradecer "acima de tudo agradeço aos figueirenses", realçando de seguida: "O resto é a vida, cair e levantar. É essa a mensagem, há que ter esperança e ter força e se Deus proteger", aqueles em dificuldade "podem reeguer-se" , disse aludindo ao seu percurso político, embora frisando que não querer fazer comparações com quem passa sérias dificuldades. 

Vinte anos depois, Santana Lopes líder do movimento "Figueira a Primeira" volta a ser presidente da Câmara da Figueira da Foz, um lugar onde "fui feliz" entre 1997 e 2001, e de onde saiu a "chorar" para novos desafios políticos, como recordou numa entrevista à SIC, a 19 julho.

 “Há aquele ditado 'não se deve voltar ao sítio onde se foi feliz'. Mas eu fui muito feliz na Figueira. Eu saí de lá porque me deram uma guia de marcha – na altura Durão Barroso era o presidente do partido, não o estou a culpar – para ser candidato em Lisboa. Na altura chorei lágrimas, tive pena. Tinha um segundo mandato para fazer e queria fazê-lo”, contou em entrevista à Edição da Noite da SIC Notícias.  


PS perde Câmara de Coimbra e Santana Lopes volta a ganhar na Figueira, 20 anos depois
O socialista Manuel Machado perdeu a presidência da Câmara de Coimbra e o antigo primeiro-ministro Pedro Santana Lopes ganhou a da Figueira da Foz, segundo as projeções televisivas realizadas hoje à boca das urnas.

Contra "tropelias" e "armadilhas"

Esta noite, lembrou que já estava à "espera de ganhar contra todas as tropelias, armadilhas e impugnações". O PSD tentou impugnar a candidatura de Santana Lopes mas o Tribunal Constitucional deu razão ao antigo primeiro-ministro.

Aos 65 anos depois de ter sido presidente da Câmara de Lisboa, chefe executivo, e líder do partido Aliança por si criado, e ter estado à frente da Santa Casa Misericórdia de Lisboa, Santana Lopes volta à Figueira da Foz, com um movimento recém-criado "Figueira a Primeira" e ganha as eleições. 

Até ao momento e enquanto os resultados finais não chegam é a outra surpresa da noite. A sua intenção é ficar à frente da autarquia por três mandatos, como anunciou na entrevista à SIC, em julho. “É para igualar o Presidente da República: ele está com 70 e poucos, mais este mandato faz 77. Eu tenho 65, mais 12 dá 77. Deus nos dê vida e saúde.”  


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Candidatos que não foram apoiados pelos partidos e que apresentaram candidaturas independentes e outros que estão a braços com a justiça ou que mudaram de partido protagonizam algumas das polémicas das listas para as autárquicas de 01 de outubro.
Referendum 2015 - - Photo : Pierre Matgé