Escolha as suas informações

"A Peregrinação" de João Botelho candidato a nomeados aos Óscares e Goya

"A Peregrinação" de João Botelho candidato a nomeados aos Óscares e Goya

Foto: Nuno Almeida/Lusa
Portugal 11.09.2018

"A Peregrinação" de João Botelho candidato a nomeados aos Óscares e Goya

O filme foi eleito pela Academia Portuguesa de Cinema para ser o candidato de Portugal aos Óscares e Prémios Goya de 2019.

O filme "A Peregrinação" de João Botelho é o candidato português às próximas edições dos Óscares e dos prémios de cinema espanhol Goya. A longa-metragem foi proposta pela Academia Portuguesa de Cinema para a categoria de Melhor Filme Estrangeiro.

O filme é baseado no livro homónimo de Fernão Mendes Pinto, de 1614, que relata episódios da presença portuguesa no Médio Oriente. Em declarações à Agência Lusa, o realizador afirmou que o filme se foca apenas numa parte do livro, "como se fosse uma introdução à leitura" da obra. No elenco da longa-metragem estão Cláudio da Silva (protagonista), Catarina Wallenstein, Pedro Inês, Maya Booth, Cassiano Carneiro, Rui Morisson, Jani Zhao e Zia Soares.

Os prémios Goya serão entregues a 2 de fevereiro de 2019, seguindo-se os Óscares a 24 de fevereiro. O candidato português proposto no ano passado pela Academia Portuguesa de Cinema, "São Jorge" de Marco Martins, não conseguiu integrar a lista dos nomeados.

Botelho admitiu plágio de argumento de "Peregrinação"

O filme do realizador esteve recentemente envolvido em polémica sobre a origem da adaptação do argumento. Após a denúncia de Deana Barroqueiro no Facebook, autora do livro "Corsário dos sete mares - Fernão Mendes Pinto", Botelho admitiu que o livro da autora portuguesa "foi forte inspiração para algumas cenas do filme, as da China" e que o realizador tentou por várias vezes contactar a escritora e a editora Casa das Letras mas sem sucesso.

João Botelho chegou mesmo a enviar uma carta a Deana e à editora onde admite o plágio. "Inclui episódios adaptados do romance 'Corsário dos sete mares'. Perdoe-me", podia ler-se.

Contacto com Agência Lusa


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Quinzena do Cinema Português: O regresso do cinema de Portugal
A Quinzena de Cinema Português regressou ao Luxemburgo neste final de ano quando já se podia pensar que 2016 não ia ter a já habitual mostra de cinema luso. Ainda antes do ano terminar, o Centro Cultural e a Embaixada conseguiram por de pé uma seleção de sete longas metragens que representam bem o cinema que se foi fazendo “lá em baixo” nos últimos tempos.
Cristèle Alves Meira, realizadora luso-descendente, apresenta duas crutas metragens no dia 15 de dezembro no Instituto Camões.
Quinzena de Cinema Português no Luxemburgo: Como manter excelentes relações com a família
Todos sabemos que quando vamos “lá abaixo” não temos tempo para filmes. Já todos passámos à porta de um multiplex num centro comercial e pensámos: “Amanhã vou ver este filme português”. E todos nós acabamos por preferir ir apanhar sol numa esplanada ou decidimos aceitar o convite da tia Maria José para jantar, ela que já nos anda a dizer para ir lá a casa há três Verões...
Quando a francesa Fanny Ardant dirige uma paleta de grandes actores europeus, o resultado chama-se “Cadências Obstinadas”