Escolha as suas informações

10 Junho: Cavaco Silva diz que Portugal está a iniciar nova fase e conta com os emigrantes
Cavaco Silva

10 Junho: Cavaco Silva diz que Portugal está a iniciar nova fase e conta com os emigrantes

LUSA
Cavaco Silva
Portugal 2 min. 10.06.2015

10 Junho: Cavaco Silva diz que Portugal está a iniciar nova fase e conta com os emigrantes

O Presidente da República diz que em Portugal se está a iniciar uma nova fase na vida nacional, e considera que há razões de confiança no futuro do país, “apesar de muito haver ainda a fazer”.

O Presidente da República diz que em Portugal se está a iniciar uma nova fase na vida nacional, e considera que há razões de confiança no futuro do país, “apesar de muito haver ainda a fazer”.

“Portugal cumpriu um exigente Programa de Assistência Económica e Financeira que, numa altura de emergência nacional, foi obrigado a estabelecer com as instituições internacionais. Encerrado esse programa, uma outra página se abre. Iniciámos uma nova fase da vida nacional e temos razões de confiança no futuro do país”, afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, numa mensagem dirigida às comunidades portuguesas no estrangeiro por ocasião do Dia de Portugal.

Apesar de reconhecer que muito há ainda a fazer, Cavaco Silva destacou alguns indicadores positivos que começam a surgir, como a economia portuguesa se apresentar mais “competitiva, sustentável e integrada na economia global”.

Além disso, continuou, o desemprego está a baixar e os produtos portugueses conquistaram novos mercados.

“Corrigimos os desequilíbrios das contas do Estado e reganhámos acesso aos mercados de financiamento externo. As instituições e os investidores estrangeiros têm vindo gradual e paulatinamente a dar sinais de renovada confiança em Portugal”, referiu. Apontando a diáspora portuguesa como “uma das grandes vantagens competitivas” do país, o Presidente da República sublinhou ainda a forma como a sua acção tem sido relevante na credibilização externa de Portugal.

A cerca de quatro meses das eleições legislativas, Cavaco Silva aproveitou também para apelar aos portugueses residentes no estrangeiro para que “mantenham um elevado espírito de patriotismo e de participação cívica na vida política nacional”.

“Quero deixar-vos a certeza de que Portugal reconhece e agradece o tanto que fazem pelo nosso e vosso país. É a esperança num futuro melhor que nos deve juntar a todos em nome de Portugal”, acrescentou, considerando os portugueses da diáspora como “verdadeiros embaixadores da portugalidade”, que muito fazem para projectar, por todo o mundo, a imagem do “Portugal inovador e empreendedor” que deve continuar a ser edificado.

“Uma verdadeira comunidade de talentos que muito nos orgulha e enriquece como Nação. São portugueses que, apesar de viverem nos cinco continentes, querem cultivar e reforçar os laços com a sua terra de origem”, frisou.

PASSOS DIZ QUE NÃO APELOU À EMIGRAÇÃO

Entretanto, Pedro Passos Coelho, reafirmou ontem que não convidou ninguém a emigrar e adiantou que há outros mitos a circular, nomeadamente o de que falou na refundação do Estado.

“Já conseguiram investigar desde ontem [segunda-feira] uma frase minha em que eu tenha dito aos jovens portugueses que o que valia a pena era emigrar?”, questionou o chefe do executivo.

Passos Coelho argumentou que o que disse foi que infelizmente cada vez há menos crianças e as escolas portuguesas estão a ficar com menos alunos e se existem menos alunos, não se pode ter mais professores. O primeiro-ministro falava aos jornalistas em Castelo Branco.


Notícias relacionadas