Legislativas 2018

ADR quer fazer parte do próximo Governo

O ADR quer fazer parte do próximo Governo do Luxemburgo
O ADR quer fazer parte do próximo Governo do Luxemburgo
Foto: Guy Jallay

“Para mudar, tem de se votar no ADR”, disse Jean Schoos, presidente do partido Alternativo Reformador Democrático (ADR), assumindo que os conservadores são uma opção governamental.

Durante uma reunião do partido, Jean Schoos teceu duras críticas à atual governação, a começar pela educação. Para o líder da ADR “as atuais políticas prejudicam as famílias que optam pelo ensino doméstico e não o ensino público”.

Sistema de pensões

“Temos de reformar o sistema de pensões, para garantir uma vida digna aos nossos filhos e aos nossos netos”, disse o presidente do partido. Nesta área, o ADR defende uma reforma transitória e “suave” nas formas de financiamento do sistema de pensões.

As pensões dos reformados no Luxemburgo estão garantidas até 2040, altura em que o Fundo de Compensação passa a ser negativo. De recordar que a Comissão Europeia já alertou que o Luxemburgo é o único país da União Europeia que não aumentou a idade da reforma nem de pré-reforma.

Defensor da língua luxemburguesa

O presidente do partido mais à direita do parlamento também voltou a defender o ensino da língua luxemburguesa. 

Schoos criticou a aprendizagem multilingue nas creches afirmando que as outras línguas estão a ganhar terreno e que o luxemburguês está a desaparecer. O facto do “ministro [da Função Pública, Dan Kersch] queixar-se das vagas por preencher nos trabalhos do Estado”, é para Schoos um sinal que as políticas do ensino estão erradas.

No início do ano, em entrevista ao canal luxemburguês RTL, o ministro Função Pública, Dan Kersch, assegurou que cerca de um quinto dos postos de trabalho na Função Pública do Luxemburgo estavam por preencher.

O ADR é um defensor da língua luxemburguesa. Em 2014 questionou o Parlamento luxemburguês se era “normal” que uma associação, subsidiada pelo Estado, pedisse conhecimento de um idioma considerado não oficial. Neste caso em concreto, a associação pedia candidatos que falassem também português, além do luxemburguês, alemão e francês.

Com olhos nas legislativas deste ano, o ADR procura novos caminhos e novas políticas, principalmente no setor imobiliário. A criação de habitação a preços mais acessíveis é um dos principais pontos do programa de campanha dos conservadores.

De acordo com a sondagem Politmonitor publicada em dezembro, se as eleições fossem agora, o partido conservador ADR passaria de três para quatro deputados.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.