A crise governativa em Portugal

Depois das eleições legislativas de 4 de Outubro de 2015, o futuro político de Portugal continua incerto. Apesar da vitória, a coligação PSD/CDS-PP não alcançou a maioria absoluta. À esquerda, PS, PCP, BE e os Verdes assinaram um acordo político que assegura a formação de um Governo socialista e derrubaram, através da moção de censura, o Governo de Passos Coelho. Cavaco Silva tem de optar por: Aceitar o acordo à esquerda e indigitar António Costa, manter o Governo de Passos Coelho em gestão até novas eleições ou formar um governo de iniciativa presidencial.

OPINIÃO: Um acordo histórico

Avenida da liberdade, por Sérgio Ferreira Borges - A esquerda vai ser posta à prova. Tem de revelar unidade, capacidade de compromisso e, sobretudo, muita competência, para governar. A direita está atenta. Mais

OPINIÃO: O medo e a austeridade

Avenida da liberdade, por Sérgio Ferreira Borges - Se o PS vier a chefiar um Governo de esquerda, ou com apoio parlamentar dos outros partidos de esquerda, a austeridade não vai acabar repentinamente. Mais

PSD apela à "responsabilidade parlamentar" do PS

O porta-voz dos sociais-democratas considerou que a indigitação do presidente do PSD como primeiro-ministro respeita a prática constitucional portuguesa e apelou à "responsabilidade parlamentar" dos socialistas para que haja "estabilidade política do Governo". Mais

PS vai apresentar moção de rejeição ao Governo de Passos

A Comissão Política do PS aprovou na quinta-feira à noite, sem votos contra, a apresentação de uma moção de rejeição ao programa de Governo da coligação PSD/CDS e mandata o secretário-geral, António Costa, para prosseguir as negociações à esquerda. Mais

OPINIÃO: A hora de Cavaco

Avenida da liberdade, por SérgioFerreira Borges - "Cavaco Silva pode querer queimar todas as etapas, indigitando Passos Coelho, para que depois seja o parlamento a chumbar o governo de direita". Mais

Passos convida PS para integrar o Governo

O presidente dos sociais-democratas desafiou hoje o secretário-geral do PS a enviar uma "contraproposta objectiva" para mostrar empenho nas negociações e a dizer com clareza se pretende entrar numa coligação de Governo com PSD e CDS-PP. Mais

OPINIÃO: Uma noiva e dois noivos

Avenida da liberdade, por Sérgio Ferreira Borges - É um clássico da literatura. Uma noiva pretendida por dois homens. Uns dizem que, se escolher o rico, terá abundância, mas vai faltar-lhe o amor. Se escolher o pobre, terá muito amor, mas vai passar a vida a comer pão com azeitonas, dizem outros. A noiva, neste caso, chama-se Partido Socialista. Mais

Jerónimo quer formar Governo com PS
Os lideres dos Partido Socialista e Comunista Português , Antõnio Costa e Jernimo de Sousa respectivamente, no final do encontro na sede do PCP

O secretário-geral do PCP reafirmou ao seu homólogo socialista a disponibilidade para viabilizar um elenco governativo do PS e impedir novo executivo da coligação PSD/CDS-PP, após uma reunião na sede comunista. Mais

OPINIÃOE agora, António Costa?
Portugal's opposition Socialist party (PS) leader, Antonio Costa, wipes his head while addressing supporters after polls closed in a general election in Lisbon, Portugal, October 4, 2015.    Portugal's center-right government headed for victory in an election on Sunday after launching tough austerity measures to combat a debt crisis, but exit polls showed it could lose its majority in parliament.    REUTERS/Rafael Marchante

POR SÉRGIO FERREIRA BORGES - Foi uma estrondosa derrota do PS, com uma vitória inequívoca da direita. Mas o desaire dos socialistas teve muito maior dimensão que o sucesso da direita. Mais

OPINIÃO - É melhor o diabo que já conheces

POR HUGO GUEDES - “Better the devil you know”, diz a sabedoria dos anglo-saxões. Referem-se à preferência por lidar com alguém ou algo que já conhecemos – mesmo não sendo ideal, mesmo que nos dê muitos problemas –, em vez nos lançarmos para o risco do novo e desconhecido. Mais

EDITORIAL - Portugueses não são masoquistas
Apesar de quatro anos muito impopulares marcados por uma austeridade dura e profunda, o primeiro-ministro Passo Coelho foi reeleito no domingo

POR JOSÉ LUÍS CORREIA - Os portugueses decidiram que depois de quatro anos de austeridade, PàF! A coligação PàF-Portugal à Frente venceu as legislativas, reconduzindo PSD e CDS no poder até 2019. Mais

Passos Coelho vai tentar acordos com PS

Pedro Passos Coelho disse neste domingo que o PSD e o CDS vão formalizar em breve o acordo de Governo e comunicar ao Presidente da República a disponibilidade para governar. O actual primeiro-ministro manifestou ainda a intenção de procurar acordos essenciais com o PS. Mais